terça-feira, 17 de junho de 2008

Felicidade

Você já pensou no sentido da palavra "felicidade"?

Talvez sim,

talvez não.

Geralmente, o que se ouve é que felicidade não existe, que o quê existem são apenas momentos felizes.

Será mesmo que algo tão grandioso como a felicidade consiste apenas em coisas tão transitórias?

Ai, eu lhe pergunto: será mesmo?

Estará a felicidade apenas num carro novo?

Estará a felicidade no encontro de alguém que "fará" você feliz?

Estará a felicidade numa viagem pela Europa?

Estará a felicidade na compra de uma casa nova?

Na verdade, a felicidade real e concreta está dentro de cada um de nós.

Só que, para reconhecê-la como verdadeira, faz-se necessário uma análise de vida...

Você já reparou nas coisas boas que o(a) cercam?

Já notou como, todos os dias, tantas coisas boas acontecem e você só valoriza o que é ruim?

Já observou que a vida é um fluir contínuo como as águas de um rio, no qual você navega, só que, muitas vezes, contra a correnteza?

Estar alegre pode ser passageiro, mas estar feliz é terno e não depende de nada.

Você tem dentro de si muitas resistências e uma delas se desenvolveu contra o "ser feliz".

Basta apenas que você olhe para dentro de si mesmo(a) e acredite em tudo o que pode realizar, naquilo que pode construir.

Aprenda a dar valor a você, às suas qualidades, a esses dons especiais que ganhou no "kit eu" quando você nasceu.

Você certamente é uma pessoa feliz, só que não sabe.

Quantas coisas desenvolveu sozinho(a)?

Quantas vitórias já conseguiu em sua vida, sem a ajuda de ninguém...

Não acredita nisso.

Não sei se minhas observações são corretas, mas escrevo e falo aquilo que sinto.

E sinto que a vida se apresenta muito simples.

Conviver com outras pessoas talvez seja o mais complexo.

Conviver consigo mesmo(a) pode ser o mais delicado.

A primeira amizade é feita com a gente mesmo.

Você já fez amizade consigo?

Você é sua amiga ou seu amigo de verdade?

Será que está a seu favor ou contra si mesmo(a)?

Tudo bem, viver não obedece a nenhum manual de instruções ou fita de vídeo.

A gente já nasce sabendo.

Vem de dentro, vem da inteligência nata, daquela coisa de se Ter o entendimento de saber que vida é arte e não um contínuo sofrimento.

Então, que tal ser feliz de verdade?

Que tal valorizar-se enquanto ser vivente, não importa seu grau de humanidade.

Se o mundo lá fora lhe causa preocupação, lembre-se de que dentro de você existe um mundo vivo, que muitas vezes é mais caótico do que qualquer conflito social...

Que tal jogar fora os valores antigos, que fazem parte de uma velha mobília da qual tem medo de se desfazer pois toda a transformação implica em perda e você tem medo de mudar?

Descubra a felicidade dentro de você e busque aceitá-la sem medo.

Sem medo de sorrir muito hoje e chorar amanhã.

Sem medo de demonstrar para as outras pessoas a alegria natural que vem de dentro do seu coração e que muitas vezes incomoda muita gente.

Sorria com mais freqüência!

Acorde de manhã de bom humor!

Quando perguntarem como vai, diga que está cada vez melhor!

Assuma a condição de ser feliz de verdade não importando qualquer tipo de dificuldade.

Você as vence, com certeza!

E mais um recadinho:

Manifeste essa condição de ser feliz de forma permanente em tudo aquilo que fizer.

Felicidade é transmissível!

Para vocês, todos dias...

muita...

FELICIDADE!

Recebi por e-mail. Desconheço autoria.

Um comentário:

sieger disse...

a felicidade é relativa...
o que não me faz feliz pode fazer um outro feliz
bjs.