segunda-feira, 30 de junho de 2008

Muito Interessante

Recebi um e-mail de uma sócia e achei muito interessante, então por sete dias estarei reproduzindo o conteúdo do e-mail para vocês. Espero que gostem e que ajude em algo.

OS 7 HÁBITOS DAS PESSOAS ALTAMENTE EFICAZES

Stephen R. Coven

Em sua abordagem inicial o autor ressalta a dificuldade passada por um de seus filhos na escola, um menino imaturo que ia mal nos estudos, esportes. Ele e sua esposa tentavam dar apoio, incentivando-o em tudo, mas de nada adiantava. Perceberam que se quisessem mudar a situação, eles precisariam mudar primeiro, mudando a percepção.

Outro ponto abordado foi o das duas figuras, a velha senhora e a bela moça. Cada um de nós tem tendência para pensar que vê as coisas como elas são, objetivamente. Mas não é bem assim, vemos o mundo, não como ele é, mas como fomos condicionados a vê-lo.

Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes abrangem a maioria dos princípios fundamentais da eficácia humana. Estes hábitos são básicos, primários. Eles representam a interiorização dos princípios corretos nos quais o sucesso e a felicidade duradoura se baseiam.

Dentro de uma visão geral dos 7 hábitos, um hábito é definido como a interseção entre o conhecimento (o que fazer e o porquê), a habilidade (como fazer) e o desejo (o querer fazer).

VITÓRIA PARTICULAR

HÁBITO 1 - SEJA PRÓ-ATIVO.


A palavra proatividade implica muito mais do que tomar a iniciativa. Implica que nós, como seres humanos, somos responsáveis por nossas próprias vidas. Nosso comportamento resulta de decisões tomadas, e não das condições externas.

Temos a capacidade de subordinar os sentimentos aos valores. Possuímos iniciativa e responsabilidade suficiente para fazer com que as coisas aconteçam.

As pessoas reativas são afetadas somente pelo ambiente físico. Se o tempo está bom, elas se sentem bem. Caso contrário, mudam a atitude e a performance. As pessoas proativas carregam o tempo dentro de si. Faça chuva ou faça sol, não interessa, elas avançam graças a seus valores. E, se um de seus valores é realizar um trabalho de qualidade, ela não depende do tempo estar assim ou assado.

As pessoas reativas também são afetadas pelo ambiente social, pelo “tempo social”. Quando as pessoas a tratam bem, sentem-se bem. Quando acontece o contrário, assumem uma postura defensiva ou protetora. As pessoas reativas constroem sua vida emocional em torno do comportamento dos outros, permitindo que a fraqueza alheia as controle. A capacidade de subordinar um impulso a um valor é a essência de uma pessoa proativa. Os reativos são levados pelos sentimentos, circunstâncias, condições e ambientes. Os proativos são guiados por seus valores, cuidadosamente pensados, selecionados e interiorizados.

Tomar a iniciativa não significa ser agressivo, insistente ou chato, e sim reconhecer a responsabilidade de fazer com que as coisas aconteçam.

Linguagem Reativa

Linguagem Proativa

Não há nada que eu possa fazer.

Sou assim e pronto.

Ela me deixa louco.

Eles nunca vão aceitar isso.

Tenho de fazer isso.

Não posso.

Eu preciso.

Ah, se eu pudesse...

Vamos procurar alternativas.

Posso tomar outra atitude.

Posso controlar meus sentimentos.

Vou buscar uma apresentação eficaz.

Preciso achar a resposta apropriada.

Eu escolho.

Eu prefiro.

Eu vou fazer.

As pessoas proativas concentram seus esforços no Círculo de Influência. Elas mexem com as coisas que podem modificar.

A natureza de sua energia é positiva, engrandecedora e ampla, o que leva ao aumento do Círculo de Influência.

As pessoas reativas, por outro lado, concentram os esforços no Círculo de Preocupação. Seu foco recai na fraqueza dos outros, nos problemas do meio ambiente, nas circunstâncias que fogem a seu controle e resultam em atitudes acusatórias e lamentações, linguagem reativa e postura de eterna vítima. A energia negativa gerada por esta postura, somada à negligência com relação aos setores em que poderiam atuar, provoca o encolhimento do Círculo de Influência.

Uma forma de se determinar em que círculo nossa preocupação se encontra é distinguir entre o ser e o ter. O círculo do reativo vive de preocupação e está cheio de ter. O reativo é concentrado no 'ter' só conta o que tem e principalmente, o que não tem (muitas vezes o que lhe é difícil senão impossível ter; é comum que para ter dependa de outros - de fatores externos e/ou distantes).

"Se eu tivesse filhos obedientes...";

"Se eu tivesse um marido...";

"Se eu tivesse dinheiro..."

"Se eu tivesse inteligência..."

"Se eu tivesse mais tempo para mim..."

"Se eu tivesse mais beleza...";

"Se eu tivesse saúde...";

"Se eu tivesse mais força...".

O círculo de Influência do proativo por sua vez, está cheio de ser: Eu 'posso ser' mais paciente, ser mas sábio, ser mais carinhoso. O foco dirige-se para o caráter. Para qualidades que qualquer pessoa pode desenvolver se quiser, mudando totalmente os resultados, e sempre voltado para si mesmo, tomando então a 'chave' que abre todas as portas, seu absoluto 'querer', seu próprio livre-arbítrio.

2 comentários:

DO disse...

Muito interessante isto,CECILIA.
Mudar habitos não é tao facil,mas se faz mesmo necessário.
Beijão!!

Anônimo disse...

[url=http://ph-pills.com/item/viagra.html]viagra online[/url]