sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Estou Ouvindo (no pc)

Brigas Nunca Mais (Composição: Tom Jobim / Vinicius de Moraes)

Chegou, sorriu, venceu depois chorou
Então fui eu quem consolou sua tristeza
Na certeza de que o amor tem dessas fases más
E é bom para fazer as pazes, mas
Depois fui eu quem dela precisou
E ela então me socorreu
E o nosso amor mostrou que veio prá ficar
Mais uma vez por toda a vida
Bom é mesmo amar em paz
Brigas
nunca mais

Versão com Milton Nascimento e Zimbo Trio, da trilha sonora de Ciranda de Pedra (que ficou ótima, vale salientar).


Estou ouvindo também:

Quantas Vidas Você Tem? (Composição: Paulinho Moska)

Meu amor
Vamos falar sobre o passado depois
Porque o futuro está esperando
Por nós dois.

Por favor
Deixe meu último pedido pra trás
E não volte pra ele nunca
Nunca mais.

Porque ao longo desses meses
Que eu estive sem você
Eu fiz de tudo pra tentar te esquecer

Eu já matei você mil vezes
E seu amor ainda me vem
Então me diga quantas vidas você tem.

(Trilha sonora de A Favorita).

Huuuuum...

Ouvi um monte de coisa, mas na hora que estava pensando o que postar tocou ‘Brigas Nunca Mais’ e ‘Quando tava terminando tocou Quantas Vidas Você Tem?’. Mas antes ouvi: Farol; Amado; Medo da Chuva (versão da Izabella Taviani); O Tempo Vai Apagar; Foto Polaroid; Mergulho Marítimo; Chovendo na Roseira; Chegou a Bonitona; Por Toda Vida; Cidade em Movimento; Viramundo; Luxúria; Mulher Sem Razão; Menina Bonita... Ou seja, coloquei pra tocar: Izabella Taviani, Pedro Luís e A Parede, e as Trilhas Sonoras de ‘A Favorita’ e ‘Ciranda de Pedra’.

Sou beeeeeeem eclética, escuto de música clássica ao Rock Progressivo, mas minha paixão mesmo é MPB.

3 comentários:

Sieger disse...

Uau, bastante eclética!
Eu ouvi ainda agora Amado da Vanessa da Mata, depois Abrazame da Wanessa Camargo e agora to com Dégénération da Mylene Farmer.
Abração

DO disse...

Muito bom gosto o seu.

Beijão!!

Zeca disse...

E bota ecletismo nisso! Mas eu acho muito bom mesmo, por poder curtir tudo o que existe de bom, independente de ser isto ou aquilo. Também vou da música erudita a todas as correntes do rock. Não que eu goste de tudo, mas sempre encontro muita coisa que gosto.

Beijão.