quinta-feira, 16 de outubro de 2008

O Cachorro e o Coelho


Recebi o texto de ontem por e-mail, uma prima minha que me mandou e é uma linda mensagem que nos faz pensar e analisar nossas atitudes. Desconheço a autoria.

Eram dois vizinhos.
O primeiro vizinho comprou um coelhinho para os filhos.
Os filhos do outro vizinho pediram um bicho para o pai.
Ele comprou um cão pastor alemão.

Papo de vizinho:
* Mas ele vai comer o meu coelho.
* De jeito nenhum. Imagina. O meu pastor é filhote. Vão crescer juntos, pegar amizade. Entendo de bicho.

E parece que o dono do cachorro tinha razão.
Juntos cresceram e amigos ficaram.
Era normal ver o coelho no quintal do cachorro e vice-versa.

Eis que o dono do coelho foi passar o final de semana na praia com a família e o coelho ficou sozinho.
Domingo, à tardinha, o dono do cachorro e a família tomavam um lanche, quando entra o pastor alemão na cozinha.
Pasmo, trazia o coelho entre os dentes, todo imundo, arrebentado, sujo de terra e, é claro, morto. Quase mataram o cachorro de tanto agredí-lo.
Dizia o homem:
- O vizinho estava certo, e agora? Só podia dar nisso!
Mais algumas horas e os vizinhos iam chegar. E agora?! Todos se olhavam.

O cachorro, coitado, chorando lá fora, lambendo os seus ferimentos.

Já pensaram como vão ficar as crianças?
Não se sabe exatamente quem teve a idéia, mas parecia infalível:
Vamos lavar o coelho, deixá-lo limpinho, depois a gente seca com o secador e o colocamos na sua casinha.
E assim fizeram.
Até perfume colocaram no animalzinho. Ficou lindo, parecia vivo, diziam as crianças.
Logo depois ouvem os vizinhos chegarem. Notam os gritos das crianças.
- Descobriram!
Não passaram cinco minutos e o dono do coelho veio bater à porta, assustado. Parecia que tinha visto um fantasma.
- O que foi? Que cara é essa?
- O coelho, o coelho...
- O que tem o coelho?
- Morreu!
- Morreu? Ainda hoje à tarde parecia tão bem.
- Morreu na sexta-feira!
- Na sexta?
- Foi antes de viajarmos, as crianças o enterraram no fundo do quintal e agora reapareceu!

A história termina aqui. O que aconteceu depois não importa.

Mas o grande personagem desta história é o cachorro. Imagine o coitado, desde sexta-feira procurando em vão pelo seu amigo de infância.
Depois de muito farejar, descobre o corpo morto e enterrado. O que faz ele... Provavelmente com o coração partido, desenterra o amigo e vai mostrar para seus donos, imaginando fazer ressuscitá-lo. E o ser humano continua o mesmo, sempre julgando os outros...

Outra lição que podemos tirar desta história é que o homem tem a tendência de julgar os fatos sem antes verificar o que de fato aconteceu.
Quantas vezes tiramos conclusões erradas das situações e nos achamos donos da verdade? Histórias como esta são para pensarmos bem nas atitudes que tomamos.
Às vezes fazemos os outros sofrerem por nosso injusto julgamento, pense...

"A vida tem quatro sentidos: amar, sofrer, lutar e vencer.
Então: AME muito, SOFRA pouco, LUTE bastante e VENÇA sempre que possível... Mas não julgue diante da 1ª. Visão ou do primeiro comentário."



***********************************

PS: Quero me desculpar por não tê-los visitado desde sexta-feira, mas é que estava sem pc e estava só postando, aos poucos vou visitando a todos, como gosto de fazer diariamente.

Fazendo uma Retro do Fim de Semana:

Sexta-feira – Programinha ligth, barzinho com amigas;
Sábado – II Festival da Criança - “Atleta do Futuro” (realizado pela FPJU (Federação Pernambucana de Judô)), Matheus ganhou as lutas, na segunda o menino derrubou ele uma vez, porém ele conseguiu se livrar e ficou por cima imobilizando o menino. Imaginem meu orgulho!!!
Quando chegamos em casa dei um banho nele e fomos encontrar com meu primo para a prova da roupa de ‘pajem’, ele vai entrar na Igreja no casamento (18/10) da minha prima. Nem preciso dizer que ficou lindo, parecendo um príncipe, né??? Depois coloco as fotos para vocês verem;

Domingo – Em casa com a família. Mainha fez um almoço delicioso para mim, ‘presente’ do dia das crianças, ela perguntou e eu disse o que queria. :) ficaram curiosos? Foi fígado, purê de batatas e salada (também tinha arroz, mas não comi). À tarde fui à Missa, já que não acordei cedo...

Beijinhos a Todos!!!!

3 comentários:

loba disse...

Cecília, que l9indo o Matheus! Parabéns pra ele. Vc me fez lembrar do meu filho que tb foi judoca e das muitas viagens que fizemos para vê-lo competindo. Ah, é uma fase tão gostosa esta! Curta bastante, viu?
Qto à historinha, será sempre oportuna. Nós, humanos, somos cônscios demais da nossa importância e não tiramos lição da vivência dos animais. Mas deveriamos, né?
Um super beijo, querida!

Sieger disse...

Pajem... saudades da minha infancia...
Tadinho do coelho... Eu tinha um coelho aqui e o cachorro maltratava com o pobre...

DO disse...

Parabens ao Matheus,Cecilia. O garoto vai longe,rsss.
A mensagem é mesmo linda e que nos traz reflexões. Pena que,uma vez,uma pessoa leu e me disse que nada tinha entendido. Fazer o quê.

Beijos!