quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Sementes...

Um homem morava numa cidade grande e trabalhava numa fábrica.

Todos os dias ele viajava cinqüenta minutos, de ônibus, para ir ao trabalho.

No ponto seguinte ao dele entrava uma senhora, que procurava sempre sentar à janela.

Ela abria a bolsa, tirava um pacotinho e passava a viagem toda jogando alguma coisa para fora do ônibus.

A cena sempre se repetia e um dia, curioso, o homem lhe perguntou o que jogava pela janela.

- Jogo sementes, respondeu ela.

- Sementes? Sementes de que?

- De flor. É que eu olho para fora e a estrada é tão vazia.
Gostaria de poder viajar vendo flores coloridas por todo o caminho. Imagine como seria bom!

- Mas as sementes caem no asfalto, são esmagadas pelos pneus dos carros, devoradas pelos passarinhos...
A senhora acha mesmo que estas flores vão nascer aí, na beira da estrada?

- Acho, meu filho. Mesmo que muitas se percam, algumas acabam caindo na terra e com o tempo vão brotar.

- Mesmo assim...demoram para crescer, precisam de água...

- Ah, EU FAÇO A MINHA PARTE. Sempre há dias de chuva. E se eu não jogar as sementes, aí mesmo é que as flores nunca vão nascer.

Dizendo isso, a velhinha virou-se para a janela aberta e recomeçou seu "trabalho".

O homem desceu logo adiante, achando que a senhora já estava meio "caduca".

Um ano após......

Um dia, no mesmo ônibus, sentado à janela, o homem levou um susto ao olhar para fora e reparar flores na beira da estrada... Muitas flores...

A paisagem estava colorida, perfumada, linda!

O homem lembrou-se da velhinha, procurou-a no ônibus e acabou perguntando para o cobrador, que conhecia todo mundo.

- A velhinha das sementes? Pois é... Morreu de pneumonia no mês passado.

O homem voltou para o seu lugar e continuou olhando a paisagem florida pela janela.

"Quem diria, as flores brotaram mesmo", pensou!!! "Mas de que adiantou o trabalho da velhinha? A coitada morreu e não pode ver esta beleza toda".

Nesse instante, o homem escutou uma risada de criança. No banco da frente, uma garotinha apontava pela janela, entusiasmada:

- Olha, que lindo! Quantas flores pela estrada...
Como se chamam aquelas flores?

Então, o homem entendeu o que a velhinha tinha feito.

Mesmo não estando ali para contemplar as flores que tinha plantado, a velhinha fez a sua parte, deixando a sua marca, a sua beleza e contemplando a felicidade através das pessoas.

Afinal, ela tinha dado um presente maravilhoso para as pessoas.

No dia seguinte, o homem entrou no ônibus, sentou-se numa janela e tirou um pacotinho de sementes do bolso...

E assim também deu continuidade a vida, semeando o amor, a amizade, o entusiasmo, a alegria.

AFINAL!!!

“O Nosso Futuro depende das ações do nosso presente”

“Se semearmos boas sementes, os frutos serão igualmente bons”

Vamos semear nossas sementes!!!!
(Recebi por e-mail. Desconheço a autoria)


4 comentários:

Ilaine disse...

Que linda fábula, Cecília. Uma grande lição, não é? É preciso semear... sempre haverá uma pequena flor brotando. Sempre vale a pena!

Bj

DO disse...

Posso colocar este texto por la,CECILIA?
Deixou-me muito emocionado.

Beijos!!

Sieger disse...

Mto lindo...
Sementes... devemos plantá-las e cumprir nossas missões!
Um big beso

instantes e momentos disse...

Vim conhecer teu blog, mais a fundo, gostei muito. Vai virar mania voltar aqui.
Tenha uma belissima tarde.
Maurizio