segunda-feira, 30 de junho de 2008

Muito Interessante

Recebi um e-mail de uma sócia e achei muito interessante, então por sete dias estarei reproduzindo o conteúdo do e-mail para vocês. Espero que gostem e que ajude em algo.

OS 7 HÁBITOS DAS PESSOAS ALTAMENTE EFICAZES

Stephen R. Coven

Em sua abordagem inicial o autor ressalta a dificuldade passada por um de seus filhos na escola, um menino imaturo que ia mal nos estudos, esportes. Ele e sua esposa tentavam dar apoio, incentivando-o em tudo, mas de nada adiantava. Perceberam que se quisessem mudar a situação, eles precisariam mudar primeiro, mudando a percepção.

Outro ponto abordado foi o das duas figuras, a velha senhora e a bela moça. Cada um de nós tem tendência para pensar que vê as coisas como elas são, objetivamente. Mas não é bem assim, vemos o mundo, não como ele é, mas como fomos condicionados a vê-lo.

Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes abrangem a maioria dos princípios fundamentais da eficácia humana. Estes hábitos são básicos, primários. Eles representam a interiorização dos princípios corretos nos quais o sucesso e a felicidade duradoura se baseiam.

Dentro de uma visão geral dos 7 hábitos, um hábito é definido como a interseção entre o conhecimento (o que fazer e o porquê), a habilidade (como fazer) e o desejo (o querer fazer).

VITÓRIA PARTICULAR

HÁBITO 1 - SEJA PRÓ-ATIVO.


A palavra proatividade implica muito mais do que tomar a iniciativa. Implica que nós, como seres humanos, somos responsáveis por nossas próprias vidas. Nosso comportamento resulta de decisões tomadas, e não das condições externas.

Temos a capacidade de subordinar os sentimentos aos valores. Possuímos iniciativa e responsabilidade suficiente para fazer com que as coisas aconteçam.

As pessoas reativas são afetadas somente pelo ambiente físico. Se o tempo está bom, elas se sentem bem. Caso contrário, mudam a atitude e a performance. As pessoas proativas carregam o tempo dentro de si. Faça chuva ou faça sol, não interessa, elas avançam graças a seus valores. E, se um de seus valores é realizar um trabalho de qualidade, ela não depende do tempo estar assim ou assado.

As pessoas reativas também são afetadas pelo ambiente social, pelo “tempo social”. Quando as pessoas a tratam bem, sentem-se bem. Quando acontece o contrário, assumem uma postura defensiva ou protetora. As pessoas reativas constroem sua vida emocional em torno do comportamento dos outros, permitindo que a fraqueza alheia as controle. A capacidade de subordinar um impulso a um valor é a essência de uma pessoa proativa. Os reativos são levados pelos sentimentos, circunstâncias, condições e ambientes. Os proativos são guiados por seus valores, cuidadosamente pensados, selecionados e interiorizados.

Tomar a iniciativa não significa ser agressivo, insistente ou chato, e sim reconhecer a responsabilidade de fazer com que as coisas aconteçam.

Linguagem Reativa

Linguagem Proativa

Não há nada que eu possa fazer.

Sou assim e pronto.

Ela me deixa louco.

Eles nunca vão aceitar isso.

Tenho de fazer isso.

Não posso.

Eu preciso.

Ah, se eu pudesse...

Vamos procurar alternativas.

Posso tomar outra atitude.

Posso controlar meus sentimentos.

Vou buscar uma apresentação eficaz.

Preciso achar a resposta apropriada.

Eu escolho.

Eu prefiro.

Eu vou fazer.

As pessoas proativas concentram seus esforços no Círculo de Influência. Elas mexem com as coisas que podem modificar.

A natureza de sua energia é positiva, engrandecedora e ampla, o que leva ao aumento do Círculo de Influência.

As pessoas reativas, por outro lado, concentram os esforços no Círculo de Preocupação. Seu foco recai na fraqueza dos outros, nos problemas do meio ambiente, nas circunstâncias que fogem a seu controle e resultam em atitudes acusatórias e lamentações, linguagem reativa e postura de eterna vítima. A energia negativa gerada por esta postura, somada à negligência com relação aos setores em que poderiam atuar, provoca o encolhimento do Círculo de Influência.

Uma forma de se determinar em que círculo nossa preocupação se encontra é distinguir entre o ser e o ter. O círculo do reativo vive de preocupação e está cheio de ter. O reativo é concentrado no 'ter' só conta o que tem e principalmente, o que não tem (muitas vezes o que lhe é difícil senão impossível ter; é comum que para ter dependa de outros - de fatores externos e/ou distantes).

"Se eu tivesse filhos obedientes...";

"Se eu tivesse um marido...";

"Se eu tivesse dinheiro..."

"Se eu tivesse inteligência..."

"Se eu tivesse mais tempo para mim..."

"Se eu tivesse mais beleza...";

"Se eu tivesse saúde...";

"Se eu tivesse mais força...".

O círculo de Influência do proativo por sua vez, está cheio de ser: Eu 'posso ser' mais paciente, ser mas sábio, ser mais carinhoso. O foco dirige-se para o caráter. Para qualidades que qualquer pessoa pode desenvolver se quiser, mudando totalmente os resultados, e sempre voltado para si mesmo, tomando então a 'chave' que abre todas as portas, seu absoluto 'querer', seu próprio livre-arbítrio.

sábado, 28 de junho de 2008

Foi Ótimo

Foi ÓTIMO!!!!!
Me Diverti MUITO!!!
Dancei MUITO!!!
Pulei, Cantei...


Chorei (de emoção e felicidade), Minha ‘Irmã’ que esta nos EUA há um ano e vai passar mais um me ligou, foi meu melhor presente. Sinto sua falta! TE AMO MUITO!!


Mas ela tava lá comigo.
Bebemos, dançamos, nos divertimos como sempre...










Até foto no Banheiro tirei.




Porque 26 anos só se faz uma vez (e fiz bem feito! Hehehehehehe) Porque tenho que comemorar a Maravilha de Ser Eu, de Estar Viva, de Ter Amigos e Ter a Família Maravilhosa que Tenho!

E meu café da manhã hoje foi delicioso: bolo, bem casado, crocante (cobertura de chocolate, por dentro leite condensado e recheio de amendoim e açúcar derretido), risole de frango e pastel. Por que essas coisas são tão deliciosas na manhã seguinte?

Papai do Céu muito obrigada por mais um ano, pela minha família, amigos, saúde... Por todas as bênçãos que me destes.
Um Ótimo Fim de Semana a Todos!!!!!!


***PS:Não poderia deixar de comentar:
Devido à lei Municipal Contra o fumo, ontem a boate estava livre de cigarros...
Foi estranho pois estava acostumada à neblina da fumaça dos cigarros, mas foi maravilhoso não ter que respirar aquele ar pesado e melhor ainda não ficar fedendo...
Perfeito!!!!!

sexta-feira, 27 de junho de 2008

2.6


Hoje vai ser uma festa
Bolo e guaraná
Muito doce pra você
É o seu aniversário
Vamos festejar
E os amigos receber

Mil felicidades e amor no coração
Que a sua vida seja sempre doce e emoção

Bate, bate palma que é hora de cantar
Agora todos juntos vamos lá


Parabéns
Parabéns
Hoje é o seu dia
Que dia mais feliz


Parabéns
Parabéns
Cante novamente que a gente pede bis

É big, é big
É big, é big, é big
É hora, é hora
É hora, é hora, é hora
Rá ti bum

Hoje vai ser uma festa
Bolo e guaraná
Muito doce pra você
É o seu aniversário
Vamos festejar
E os amigos receber


Mil felicidades e amor no coração
Que a sua vida seja sempre doce e emoção
Bate, bate palma que é hora de cantar

Agora todos juntos vamos lá

Parabéns
Parabéns
Hoje é o seu dia que dia mais feliz

Parabéns
Parabéns
Cante novamente que a gente pede bis



Às 22:20 estarei completando 26 aninho...

Este ano farei uma coisa diferente: Vou comemorar na Downtown com uns amigos e meu irmão, ao som de The Wink e outros.

Mas claro que vai ter bolinho e parabéns em casa, não abro mão.

quinta-feira, 26 de junho de 2008

É Isso Aí


Recebi este vídeo por e-mail é Lindo Vale a pena dar uma olhada: Ballet - Hand in Hand
Uma das apresentações de ballet mais emocionantes que já ví. Mesmo aqueles que não são amantes do estilo dessa dança se emocionam!
EXEMPLO DE SUPERAÇÃO!!!! MUITO LINDO

quarta-feira, 25 de junho de 2008

Valorize o bem

Estranhas ocorrências periodicamente chamam a atenção.

A natureza parece convulsionar-se.

Ondas imensas devastam grandes áreas habitadas.

O aquecimento global provoca devastadores fenômenos climáticos.

Chove em excesso em alguns lugares, enquanto noutros faz-se desesperadora seca.

Ao lado dos fenômenos da natureza, há também tristes espetáculos produzidos pelos homens.

Atos terroristas causam vítimas incontáveis.

Guerras surgem em vários locais do planeta.

Notícias sobre corrupção não param de eclodir.

A cada dia são divulgadas notícias sobre cruéis atos de violência.

Crianças são brutalmente assassinadas, idosos são logrados, jovens são corrompidos.

No âmbito sexual, liberdade facilmente degenera em libertinagem.

Ante esse estranho contexto, não falta quem diga que a Humanidade está perdida.

Entretanto, o bem nunca foi tão operante no mundo.

A ciência descobre sem cessar a cura para enfermidades que, por longo tempo, infelicitaram a raça humana.

A tecnologia torna o viver mais suave, sob o aspecto material.

Há inúmeras organizações voltadas para a promoção do ser humano.

Incessantemente surgem leis que asseguram direitos para as minorias.

Organizações internacionais procuram interferir em países nos quais os direitos humanos são desrespeitados.

A prática do serviço voluntário dissemina-se pelo corpo social.

Há belíssimos exemplos de devotamento e abnegação.

A rigor, vive-se uma época de transição e pujança.

Sob uma atividade febril, a grandeza e a miséria humanas tornam-se visíveis.

Os meios de comunicação trazem a público o que por muito tempo foi dissimulado.

A partir das informações disponíveis, cada qual escolhe o que deseja valorizar.

Alguns se encantam com os progressos tecnológicos e científicos.

Outros valorizam as conquistas dos atletas e a abnegação dos voluntários de diversas áreas.

Mas há quem tome gosto por notícias de violência, corrupção e tragédia.

Por certo não é possível e nem desejável ignorar o mal ainda existente no mundo.

Ele deve ser identificado e combatido, com serenidade e competência.

Mas não é viável centrar no mal toda a atenção, em detrimento do bem que também se desenvolve.

A Humanidade é hoje muito melhor do que jamais o foi.

Há pouco mais de um século, havia escravos no Brasil.

Eram seres humanos que podiam ser chicoteados, vendidos e assassinados por seus donos.

Eles eram considerados apenas coisas, bens materiais de que se dispunha livremente.

Hoje a própria idéia parece escandalosa.

Mas por muito tempo ela foi considerada absolutamente natural.

A sensibilidade humana está se sofisticando.

Algumas práticas admitidas no passado hoje causam estarrecimento e revolta.

Trata-se do progresso modelando os costumes e os sentimentos.

A Humanidade está sendo preparada para uma fase mais sublime de sua existência imortal.

Nela, a fraternidade, o mérito e a justiça devem reinar soberanos.

Apresse a depuração de seu mundo íntimo vivendo, valorizando e refletindo sobre o bem.
É uma questão de escolha.
Pense nisso.

Redação do Momento Espírita.
Em 30.05.2008.

terça-feira, 24 de junho de 2008

Festa

As Noites de Junho de Antigamente
(Luiz Gonzaga)

Antigamente o céu ficava colorido de balões,

Como estrelas a brilhar,
Eram mensageiros de perdidas ilusões,
Que seguiam seus caminhos sem voltar.

Antigamente o céu ficava colorido de balões,
Como estrelas a brilhar,
Eram mensageiros de perdidas ilusões,

Que seguiam seus caminhos sem voltar.

São João, São Pedro, Santo Antonio,
Fogueiras, amor e matrimonio,
Tudo era tão lindo, era diferente,
Nas noites de junho, de antigamente.

Tudo era tão lindo, era diferente,
Nas noites de junho, de antigamente.

Todos cantavam, lindas canções,
Pulavam fogueiras, soltavam balões,
Tudo era alegria, tudo era emoção,
Mil sonhos lindos em cada coração.

Tudo era alegria, tudo era emoção,

Mil sonhos lindos em cada coração.

Oi pega o balão, pião,
Não rasga o balão, pião,
Oi pega o balão, pião,
Não rasga o balão.

Antigamente o céu ficava colorido de balões,
Como estrelas a brilhar,
Eram mensageiros de perdidas ilusões,

Que seguiam seus caminhos sem voltar.

Antigamente o céu ficava colorido de balões,
Como estrelas a brilhar,
Eram mensageiros de perdidas ilusões,
Que seguiam seus caminhos sem voltar.

São João, São Pedro, Santo Antonio,
Fogueiras, amor e matrimonio,
Tudo era tão lindo, era diferente,

Nas noites de junho, de antigamente.

Tudo era tão lindo, era diferente,
Nas noites de junho, de antigamente.

Todos cantavam, lindas canções,
Pulavam fogueiras, soltavam balões,
Tudo era alegria, tudo era emoção,
Mil sonhos lindos em cada coração.


Tudo era alegria, tudo era emoção,
Mil sonhos lindos em cada coração.

Oi pega o balão, pião,
Não rasga o balão, pião,
Oi pega o balão, pião,
Não rasga o balão.

segunda-feira, 23 de junho de 2008

João e Mário

João era um importante empresário. Morava em um apartamento de cobertura, na zona nobre da cidade.

Naquele dia, João deu um longo beijo em sua amada e fez em silêncio a sua oração matinal de agradecimento a Deus pela sua vida, seu trabalho e suas realizações.

Após tomar café com a esposa e os filhos, João levou-os ao colégio e se dirigiu a uma de suas empresas.

Chegando lá, cumprimentou com um sorriso os funcionários, inclusive Dona Tereza, a faxineira.

Tinha ele inúmeros contratos para assinar, decisões a tomar, reuniões com vários departamentos da empresa, contatos com fornecedores e clientes, mas a primeira coisa que disse para sua secretária foi: "Calma, fazer uma coisa de cada vez, sem stress".

Ao chegar a hora do almoço, ele foi para casa curtir a família. A tarde tomou conhecimento que o faturamento do mês superou os objetivos e mandou anunciar que todos os funcionários teriam gratificações salariais no mês seguinte. Apesar da sua calma, ou talvez, por causa dela, conseguiu resolver tudo que estava agendado para aquele dia. Como já era sexta-feira, João foi ao supermercado, voltou para casa, saiu com a família para jantar e depois foi dar uma palestra para estudantes, sobre motivação para vencer na vida.

Enquanto isso, em bairro mais pobre de outra capital, vive Mário. Como fazia em todas as sextas-feiras, Mário foi para o bar jogar sinuca e beber com amigos. Já chegou lá nervoso, pois estava desempregado. Um amigo seu tinha lhe oferecido uma vaga em sua oficina como auxiliar de mecânico, mas ele recusou, alegando não gostar do tipo de trabalho. Mário não tinha filhos e estava também sem uma companheira, pois sua terceira mulher, partiu dias antes, dizendo que estava cansada de ser espancada e de viver com um inútil.

Ele estava morando de favor, num quarto imundo no porão de uma casa.

Naquele dia, Mário bebeu mais algumas, jogou, bebeu, jogou e bebeu até o dono do bar pedir para ele ir embora. Ele pediu para pendurar a sua conta, mas seu crédito havia acabado, então armou uma tremenda confusão... e o dono do bar o colocou para fora.

Sentado na calçada, Mário chorava pensando no que havia se tornado sua vida, quando seu único amigo, o mecânico, apareceu após levá-lo para casa e curando um pouco o porre, ele perguntou a Mário: - "Diga-me por favor, o que fez com que você chegasse até o fundo do poço desta maneira?"

Mário então desabafou:

- A minha família... Meu pai foi um péssimo exemplo. Ele bebia, batia em minha mãe, não parava em emprego nenhum. Tínhamos uma vida miserável.

Quando minha mãe morreu doente, por falta de condições, eu saí de casa, revoltado com a vida e com o mundo. Tinha um irmão gêmeo, chamado João, que também saiu de casa no mesmo dia, mas foi para um rumo diferente, nunca mais o vi. Deve estar vivendo desta mesma forma.

Enquanto isso, na outra capital, João terminava sua palestra para estudantes. Já estava se despedindo quando um aluno ergueu o braço e lhe fez a seguinte pergunta:
- "Diga-me por favor, o que fez com que o senhor chegasse até onde está hoje, um grande empresário e um grande ser humano?"

João emocionado, respondeu:

- "A minha família. Meu pai foi um péssimo exemplo. Ele bebia, batia em minha mãe, não parava em emprego nenhum. Tínhamos uma vida miserável.

Quando minha mãe morreu, por falta de condições, eu saí de casa, decidido que não seria aquela vida que queria para mim e minha futura família.

Tinha um irmão gêmeo, chamado Mário, que também saiu de casa no mesmo dia, mas foi para um rumo diferente, nunca mais o vi. Deve estar vivendo desta mesma forma.

Moral da história:
O que aconteceu com você até agora não é o que vai definir o seu futuro, e sim a maneira como você vai reagir a tudo que aconteceu. Sua vida pode ser diferente, não se lamente pelo passado, construa você mesmo o seu futuro.

domingo, 22 de junho de 2008

Dois homens, ambos gravemente doentes, estavam no mesmo quarto de hospital.

Um deles podia se sentar na sua cama durante uma hora, todas as tardes, para que os fluidos circulassem nos seus pulmões.

A sua cama estava junto da única janela do quarto.

O outro homem tinha que ficar sempre deitado de costas.

Os homens conversavam horas e horas. Falavam das suas mulheres, famílias, das suas casas, dos seus empregos, dos seus aeromodelos, onde tinham passado as férias...

E todas as tardes, quando o homem da cama perto da janela se sentava, passava o tempo a descrever ao seu companheiro de quarto todas as coisas que conseguia ver do lado de fora da janela.

O homem da cama do lado começou a viver à espera desses períodos de uma hora, em que o seu mundo era alargado e animado por toda a atividade e cor do mundo do lado de fora da janela.

A janela dava para um parque com um lindo lago. Patos e cisnes chapinhavam na água enquanto as crianças brincavam com os seus barquinhos. Jovens namorados caminhavam de braços dados por entre as flores de todas as cores do arco-íris. Árvores velhas e enormes acariciavam a paisagem e uma tênue vista da silhueta da cidade podia ser vislumbrada no horizonte.

Enquanto o homem da cama perto da janela descrevia isto tudo com extraordinário pormenor, o homem no outro lado do quarto fechava os seus olhos e imaginava as pitorescas cenas.

Um dia, o homem perto da janela descreveu um desfile que ia passar:
Embora o outro homem não conseguisse ouvir a banda, conseguia vê-la e ouvi-la na sua mente, enquanto o outro senhor a retratava através de palavras bastante descritivas.

Dias e semanas passaram. Uma manhã , a enfermeira chegou ao quarto trazendo água para os seus banhos, e encontrou o corpo sem vida, o homem perto da janela, que tinha falecido calmamente
enquanto dormia. A enfermeira ficou muito triste e chamou os funcionários do hospital para que levassem o corpo.

Logo que lhe pareceu apropriado, o outro homem perguntou se podia ser colocado na cama perto da janela. A enfermeira disse logo que sim e fez a troca.

Depois de se certificar de que o homem estava bem instalado, a enfermeira deixou o quarto.

Lentamente, e cheio de dores, o homem ergueu-se, apoiado no cotovelo, para contemplar o mundo lá fora. Fez um grande esforço e lentamente olhou para o lado de fora da janela que dava, afinal, para uma parede de tijolo! .

O homem perguntou à enfermeira o que teria feito com que o seu falecido companheiro de quarto lhe tivesse descrito coisas tão maravilhosas do lado de fora da janela.

A enfermeira respondeu que o homem era cego e nem sequer conseguia ver a parede. Talvez quisesse apenas passar alguma coragem pra ele...

Moral da História:

Existe uma felicidade tremenda em fazer os outros felizes, apesar dos nossos próprios problemas.
A dor partilhada é metade da tristeza, mas a felicidade, quando partilhada, é dobrada.
Se vc quer se sentir rico, conta todas as coisas que você tem que o dinheiro não pode comprar.

'O dia de hoje é uma dádiva, por isso é que o chamam de presente.'

(Desconheço autor)

sábado, 21 de junho de 2008

Sheakspeare

Depois de algum tempo você percebe a diferença, a sutil diferença entre dar a mão e acorrentar uma alma.

E você aprende que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança.
E começa a aprender que beijos não são contratos e presentes não são promessas.

Começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança.

E aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.

Depois de um tempo, você aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo.
E aprende que não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam...

E aceita que não importa o quão boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso.
Aprende que falar pode aliviar dores emocionais.

Descobre que se leva anos para se construir confiança e apenas segundos para destruí-la, e que você pode fazer coisas em um instante, das quais se arrependerá pelo resto da vida.

Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias.
E o que importa não é o que você tem
na vida, mas quem você tem na vida.
E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher.

Aprende que não temos que mudar de amigos se compreendemos que os amigos mudam, percebe que seu amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos.

Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida são tomadas de você muito depressa, por isso, sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas, pode ser a última vez que as vejamos.

Aprende que as circunstâncias e os ambientes têm influência sobre nós, mas nós somos responsáveis por nós mesmos.
Começa a aprender que não se deve comparar com os outros, mas com o melhor que pode ser.

Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser, e que o tempo é curto.
Aprende que não importa onde já chegou,
mas onde está indo, mas se você não sabe para onde está indo, qualquer lugar serve.

Aprende que, ou você controla seus atos, ou eles o controlarão, e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade, pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação, sempre existem dois lados.

Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer, enfrentando as conseqüências.
Aprende que paciência requer muita prática.

Descobre que algumas vezes a pessoa que você espera que o chute quando você cai é uma das poucas que o ajudam a levantar-se.

Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que se teve e o que você aprendeu com elas do que com quantos aniversários você celebrou.
Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha.

Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens, poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso.
Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel.

Descobre que só porque alguém não te ama do jeito que você quer que ame, não significa que esse alguém não o ama com tudo o que pode, pois existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso.

Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém, algumas vezes você tem que aprender a perdoar a si mesmo.
Aprende que com a mesma severidade com que julga, você será em algum momento condenado.

Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não pára para que você o conserte.
Aprende que o tempo não é al
go que possa voltar para trás.

Portanto, plante seu jardim e decore sua alma, ao invés de esperar que alguém lhe traga flores.

E você aprende que realmente pode suportar... que realmente é forte, e que pode ir muito mais
longe depois de pensar que não se pode mais.

Depois de algum tempo você percebe a diferença, a sutil diferença entre dar a mão e acorrentar uma alma.

E você aprende que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança.
E começa a aprender que beijos não são contratos e presentes não são promessas.

Começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança.

E aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.

Depois de um tempo, você aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo.
E aprende que não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não s
e importam...

E aceita que não importa o quão boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso.
Aprende que falar pode aliviar dores emocionais.

Descobre que se leva anos para se construir confiança e apenas segundos para destruí-la, e que você pode fazer coisas em um instante, das quais se arrependerá pelo resto da vida.

Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias.
E o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem na vida.
E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher.

Aprende que não temos que mudar de amigos se compreendemos que os amigos mudam, percebe que seu amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos.

Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida são tomadas de você muito depressa, por isso, sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas, pode ser a última vez que as vejamos.

Aprende que as circunstâncias e os ambientes têm influência sobre nós, mas nós somos responsáveis por nós mesmos.
Começa a aprender que não se deve comparar com os outros, mas com o melhor que pode ser.

Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser, e que o tempo é curto.
Aprende que não importa onde já chegou, mas onde está indo, mas se você não sabe para onde está indo, qualq
uer lugar serve.

Aprende que, ou você controla seus atos, ou eles o controlarão, e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade, pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação, sempre existem dois lados.

Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer, enfrentando as conseqüências.
Aprende que paciência requer muita prática.

Descobre que algumas vezes a pessoa que você espera que o chute quando você cai é uma das poucas que o ajudam a levantar-se.

Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que se teve e o que você aprendeu com elas do que com quantos aniversários você celebrou.
Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha.

Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens, poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso.
Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel.

Descobre que só porque alguém não te ama do jeito que você quer que ame, não significa que esse alguém não o ama com tudo o que pode, pois existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso.

Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém, algumas vezes você tem que aprender a perdoar a si mesmo.
Aprende que com a mesma severidade com que julga, você será em algum momento condenado.

Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não pára para que você o conserte.
Aprende que o tempo não é algo q
ue possa voltar para trás.

Portanto, plante seu jardim e decore sua alma, ao invés de esperar que alguém lhe traga flores.

E você aprende que realmente pode suportar... que realmente é forte, e que pode ir muito mais
longe depois de pensar que não se pode mais.



Montivo de Orgulho:

Já tinha publicado o post, mas não consegui deixar de colocar essa matéria do jornal nacional:

Formação de professores é diferencial de escolas com notas altas no Ideb

Colégio de Aplicação da UFPE tem o melhor índice de 5ª a 8ª série.
Escola de Santa Fé do Sul, em SP, tirou nota mais alta de 1ª a 4ª série.

Na hora do intervalo, a conversa é como a de qualquer adolescente, mas na hora de estudar a responsabilidade é de adulto. Este é o perfil dos alunos do Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). A unidade obteve a maior nota na avaliação do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb buscar) entre todas as escolas públicas do Brasil de 5ª a 8ª série: 8,2.

A nota é mais que o dobro da média nacional, que está em 3,8. Para o diretor da escola, o professor José Carlos de Souza, o segredo do sucesso está no comprometimento dos professores e dos alunos. “O quadro docente é formado por 58 profissionais, a maioria trabalhando em regime de dedicação exclusiva. Além disso, dos 58 professores, 12 possuem títulos de doutor e 27 de mestre”, aponta o diretor, que trabalha na casa há nove anos. Nenhum professor estagiário dá aulas na escola.

O perfil do aluno do colégio também é diferenciado. Quem freqüenta o Colégio de encarou uma ferrenha concorrência no exame de admissão, feito uma vez por ano para alunos egressos no sexto ano (antiga 5ª série). “A concorrência do concurso de 2008 foi de 30 alunos por vaga”, diz José Carlos.

Professores qualificados e alunos selecionados explicam, em parte, o sucesso do colégio no Ideb, mas a infra-estrutura da escola também colabora. Quase todas as salas de aula são aparelhadas com ar condicionado. Há, também, laboratórios de artes e informática.

O Colégio de Aplicação fica dentro do campus da UFPE, e a proximidade da universidade acaba por dar aos estudantes uma gama maior de bibliotecas e espaços para estudo. Mesmo assim, as crianças e adolescentes afirmam que não vivem apenas para estudar.

...

Vejam matéria na íntegra.

Claro que muita coisa ainda tem que ser feita pela educação no Brasil...

sexta-feira, 20 de junho de 2008

Mas você não...

Um dia desses eu olhei para você e sorri
Pensei que me veria, mas você não me viu

Disse "Amo você" e esperei pelo que iria dizer
Pensei que me ouviria, mas você não me ouviu

Pedi para você jogar bola comigo lá fora
Pensei que me seguiria, mas você não me seguiu

Fiz um desenho apenas para você ver
Pensei que o guardaria, mas você não o guardou

Construí um forte para nós dois no bosque
Pensei que acamparia lá comigo, mas você não acampou

Encontrei algumas minhocas para nós pescarmos
Pensei que iria querer pescar, mas você não quis

Precisei de você apenas para conversar,
falar sobre o que passa pela minha cabeça
Pensei que iria querer conversar, mas você não quis

Eu lhe contei sobre o jogo esperando que fosse estar lá
Pensei que você iria, mas você não foi

Eu lhe pedi para partilhar a minha juventude comigo
Pensei que você desejaria fazer isso, mas você não pôde

Meu país me chamou para a guerra,
e você me pediu para voltar são e salvo

Mas eu não voltei.

São nos pequenos gestos que percebemos um grande amor.

Um sorriso, um jogo, um desenho, um passeio... Coisas que para nós parecem pequenas e sem importância para a pessoa que nos ama pode ter um grande significado, por isso, devemos ter cuidado com nossos atos e prestar mais atenção na pessoa que está ao nosso lado, ela pode estar querendo apenas nos fazer feliz e compartilhar sua vida conosco, multiplicar alegrias e dividir tristezas.

Devemos sempre estar dispostos a conversar e a ouvir o que o outro tem a falar, e principalmente, devemos valorizar quem amamos e nos ama, procurar de uma maneira ou de outra estar sempre presente na vida da pessoa amada, mesmo que estejamos longe dele!

quarta-feira, 18 de junho de 2008

Ser ou não ser...

...de ninguém?

Na hora de cantar todo mundo enche o peito nas boates, nos bares, levanta os braços, sorri e dispara "eu sou de ninguém, eu sou de todo mundo e todo mundo é meu também".

No entanto, passado o efeito do uísque com energético e dos beijos descompromissados, os adeptos da geração "tribalistas" se dirigem aos consultórios terapêuticos, ou alugam o ouvido do amigo mais próximo e reclamam de solidão, ausência de interesse das pessoas, descaso e rejeição.

A maioria não quer ser de ninguém, mas quer que alguém seja seu. Beijar na boca é bom? Claro que é! Se manter sem compromisso, viver rodeado de amigos em baladas animadíssimas é legal? Evidente que sim. Mas por que reclamam depois?

Será que os grupos tribalistas se esqueceram da velha lição ensinada no colégio, onde "toda ação tem uma reação".

Agir como tribalistas tem conseqüências, boas e ruins, como tudo na vida...

Não dá, infelizmente, para ficar somente com a cereja do bolo - beijar de língua, namorar e não ser de ninguém. Para comer a cereja é preciso comer o bolo todo e nele os ingredientes vão além do descompromisso, como: não receber o famoso telefonema no dia seguinte, não saber se está namorando mesmo depois de sair um mês com a mesma pessoa, não se importar se o outro estiver beijando outra, etc, etc, etc. embora já saibam namorar, "os tribalistas" não namoram. Ficar, também é coisa do passado. A palavra de ordem hoje é "namorix". A pessoa pode ter um, dois e até três namorix ao mesmo tempo.

Dificilmente está apaixonada por seus namorix, mas gosta da companhia do outro e de manter a ilusão de que não está sozinho.

Nessa nova modalidade de relacionamento, ninguém pode se queixar de nada.

Caso uma das partes se ausente durante uma semana, a outra deve fingir que nada aconteceu, afinal, não estão namorando. Aliás, quando foi que se estabeleceu que namoro é sinônimo de cobrança? A nova geração prega liberdade, mas acaba tendo visões unilaterais. Assim como só deseja "a cereja do bolo tribal", enxerga somente o lado negativo das relações mais sólidas.

Desconhece a delícia de assistir a um filme debaixo das cobertas num dia chuvoso comendo pipoca com chocolate quente, o prazer de dormir junto abraçado, roçando os pés sob as cobertas e a troca de cumplicidade, carinho e amor.

Namorar é algo que vai muito além das cobranças. É cuidar do outro e ser cuidado por ele, é telefonar só pra dizer bom dia, ter uma boa companhia para ir ao cinema de mãos dadas, transar por amor, ter alguém para fazer e receber cafuné, um colo para chorar, uma mão para enxugar lágrimas, enfim, é ter "alguém para amar".

Já dizia o poeta que "amar se aprende amando" e se seguirmos seu raciocínio, esbarraremos na lição que nos foi passada nas décadas passadas: relação é sinônimo de desilusão. O número avassalador de divórcios nos últimos tempos, só veio a confirmar essa tese e aqueles que se divorciaram (pais e mães dos adeptos do tribalismo), vendem na maioria das vezes de que casar é um péssimo negócio e que uma relação sólida é sinal de frustrações futuras.

Talvez seja por isso que pronunciar a palavra "namoro" traga tanto medo e rejeição. No entanto, vivemos em uma época muito diferente daquela em que nossos pais viveram. Hoje podemos optar com maior liberdade e não somos mais obrigados a "comer sal juntos até morrer". Não se trata de responsabilizar pais e mães, ou atribuir um significado latente aos acontecimentos vividos e assimilados na infância, pois somos responsáveis por nossas escolhas, assim como o que fazemos com as lições que nos chegam.

A questão não é casual, mas quem sabe correlacional. Podemos aprender a amar se relacionando, trocando experiências, afetos, conflitos e sensações. Não precisamos amar sob os conceitos que nos foram passados. Somos livres para optarmos! E ser livre não é beijar na boca e não ser de ninguém. É ter coragem, ser autêntico e se permitir viver um sentimento... É arriscar, pagar para ver e correr atrás da felicidade. É doar e receber, é estar disponível de alma, para que as surpresas da vida possam aparecer. É compartilhar momentos de alegria e buscar tirar proveito até mesmo das coisas ruins.

Ser de todo mundo e não ser de ninguém é o mesmo que não ter ninguém também... É não ser livre para trocar e crescer... É estar fadado ao fracasso emocional e à tão temida solidão.

Arnaldo Jabor

terça-feira, 17 de junho de 2008

Felicidade

Você já pensou no sentido da palavra "felicidade"?

Talvez sim,

talvez não.

Geralmente, o que se ouve é que felicidade não existe, que o quê existem são apenas momentos felizes.

Será mesmo que algo tão grandioso como a felicidade consiste apenas em coisas tão transitórias?

Ai, eu lhe pergunto: será mesmo?

Estará a felicidade apenas num carro novo?

Estará a felicidade no encontro de alguém que "fará" você feliz?

Estará a felicidade numa viagem pela Europa?

Estará a felicidade na compra de uma casa nova?

Na verdade, a felicidade real e concreta está dentro de cada um de nós.

Só que, para reconhecê-la como verdadeira, faz-se necessário uma análise de vida...

Você já reparou nas coisas boas que o(a) cercam?

Já notou como, todos os dias, tantas coisas boas acontecem e você só valoriza o que é ruim?

Já observou que a vida é um fluir contínuo como as águas de um rio, no qual você navega, só que, muitas vezes, contra a correnteza?

Estar alegre pode ser passageiro, mas estar feliz é terno e não depende de nada.

Você tem dentro de si muitas resistências e uma delas se desenvolveu contra o "ser feliz".

Basta apenas que você olhe para dentro de si mesmo(a) e acredite em tudo o que pode realizar, naquilo que pode construir.

Aprenda a dar valor a você, às suas qualidades, a esses dons especiais que ganhou no "kit eu" quando você nasceu.

Você certamente é uma pessoa feliz, só que não sabe.

Quantas coisas desenvolveu sozinho(a)?

Quantas vitórias já conseguiu em sua vida, sem a ajuda de ninguém...

Não acredita nisso.

Não sei se minhas observações são corretas, mas escrevo e falo aquilo que sinto.

E sinto que a vida se apresenta muito simples.

Conviver com outras pessoas talvez seja o mais complexo.

Conviver consigo mesmo(a) pode ser o mais delicado.

A primeira amizade é feita com a gente mesmo.

Você já fez amizade consigo?

Você é sua amiga ou seu amigo de verdade?

Será que está a seu favor ou contra si mesmo(a)?

Tudo bem, viver não obedece a nenhum manual de instruções ou fita de vídeo.

A gente já nasce sabendo.

Vem de dentro, vem da inteligência nata, daquela coisa de se Ter o entendimento de saber que vida é arte e não um contínuo sofrimento.

Então, que tal ser feliz de verdade?

Que tal valorizar-se enquanto ser vivente, não importa seu grau de humanidade.

Se o mundo lá fora lhe causa preocupação, lembre-se de que dentro de você existe um mundo vivo, que muitas vezes é mais caótico do que qualquer conflito social...

Que tal jogar fora os valores antigos, que fazem parte de uma velha mobília da qual tem medo de se desfazer pois toda a transformação implica em perda e você tem medo de mudar?

Descubra a felicidade dentro de você e busque aceitá-la sem medo.

Sem medo de sorrir muito hoje e chorar amanhã.

Sem medo de demonstrar para as outras pessoas a alegria natural que vem de dentro do seu coração e que muitas vezes incomoda muita gente.

Sorria com mais freqüência!

Acorde de manhã de bom humor!

Quando perguntarem como vai, diga que está cada vez melhor!

Assuma a condição de ser feliz de verdade não importando qualquer tipo de dificuldade.

Você as vence, com certeza!

E mais um recadinho:

Manifeste essa condição de ser feliz de forma permanente em tudo aquilo que fizer.

Felicidade é transmissível!

Para vocês, todos dias...

muita...

FELICIDADE!

Recebi por e-mail. Desconheço autoria.

sábado, 14 de junho de 2008

Árvore dos Meus Amigos

Existem pessoas em nossas vidas que nos deixam felizes pelo simples fato
de terem cruzado o nosso caminho.

Algumas percorrem ao nosso lado, vendo muitas luas passarem, mas
outras apenas vemos entre um passo e outro.

A todas elas chamamos de amigo.
Há muitos tipos de amigos.
Talvez cada folha de uma árvore caracterize um deles.

O primeiro que nasce do broto é o amigo pai e o amigo mãe.
Mostram o qu
e é ter vida.

Depois vem o amigo irmão, com quem dividimos o nosso espaço para que ele floresça como nós. Passamos a conhecer toda a família, a qual
respeitamos e des
ejamos o bem.

Mas o destino nos apresenta outros amigos, os quais não
sabíamos que iam cruzar o nosso caminho.

Muitos desses são designados amigos do peito, do coração. São sinceros, são verdadeiros. Sabem quando não estamos bem, sabem o que nos faz feliz…

Ás vezes, um desses amigos do peito estala o nosso coração e então é chamado de amigo namorado. Esse dá brilho aos nossos olhos, música aos
nossos lábios, pulos aos nossos pés.

Mas também há aqueles amigos por um tempo, talvez umas férias ou mesmo um dia ou uma hora. Esses costumam colocar muitos sorrisos na nossa face, durante o tempo que estamos por perto.

Falando em perto, não podemos nos esquecer dos amigos distantes, que ficam nas pontas dos galhos, mas que quando o vento sopra, aparecem novamente entre uma folha e outra.

O tempo passa, o verão se vai, o Outono aproxima-se, e perdemos algumas das nossas folhas. Algumas nascem num outro verão e outras permanecem por muitas estações. Mas o que nos deixa mais feliz é que as que caíram continuam por
perto, continua aumentando a nossa raiz de alegria.

Lembranças de momentos maravilhosos enquanto cruzavam o nosso caminho.

Simplesmente porque:

Cada pessoa que passa em nossa vida é única.
Sempre deixa um pouco de si e leva um pouco de nós.
Há os que levaram muito, mas não há os qu
e não deixaram nada.

Esta é a maior responsabilidade da nossa vida e a prova evidente de que
duas almas não se encontram por acaso.

Desejo a você que cruzou o meu caminho e que comigo deixou um pouco de si, uma vida cheia de bênçãos, alegrias, prosperidade, amigos...

Amigos Pais...

Amigos Irmãos...

Amigos Filhos...

Amigos Ausentes...

Amigos Presentes...

Amigos Virtuais...

Amigos Reais...

Amigos... Amigos..