quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Porque Ele Faz

Meu Mundo Girar...

Estou apaixonada, e não é de hoje, é desde a primeira vista.
Tá, tudo bem que não foi só agora que eu percebi, mas é que hoje resolvi falar sobre
ele.


Pensaram algo diferente, ficaram surpresos?
Espero que não tenham se decepcionado ao perceber que vou falar de Matheus, pois, por um instante vi alguns de você vibrando ao pensar que eu iria falar de um novo amor, um novo namorado, mas o amor de hoje é antigo, é um amor de uns 4anos e meio.
Rsrs...

03/12/04 ele estava completando 1ano e 7meses e foi justamente o dia em que ele veio morar conosco.
A princípio houve um pouco de rejeição da minha parte, foi difícil aceitar meu irmão com 18anos sem trabalhar, sem estudar, sem ter nenhum tipo de responsabilidade e pai de 2 meninos. João (o mais velho) sempre tive contato até sou madrinha dele, mas Matheus eu só conheci de fato quando ele veio morar aqui, antes disso só o tinha visto quando ele tinha uns 9meses (quando a mãe dele surtada largou ele aqui, depois se arrependeu e veio buscá-lo).
E o tempo passou, até que ele finalmente veio morar aqui por determinação do Conselho Tutelar...

Lembro perfeitamente do dia que ele chegou. Eu estava dormindo, não tinha tido aula e nem estágio, estava no processo de transição de um Hotel para o outro e no dia anterior (02/12) não tinha dormido direito, pois saí para comemorar aniversário de um amigo; acordei ouvindo Mainha brincar com uma criança e quando cheguei na frente de casa ela estava balançando uma criança (aqui em casa tem três balanços no jardim).
- Mãe, quem é esse?
- Matheus.
- Matheus? Que Matheus?
- Oxe menina, filho de Mozart.
- Oxe, e o que ele ta fazendo aqui?
- Vai morar aqui agora.
- Ãh? Como assim? Que história é essa?
- A avó dele trouxe cm dois conselheiros...
E me contou toda história, enquanto balançava ele.
Lembro que não tinha gostado muita da idéia, mas não por ele, pela mãe, que é toda problemática...
Então, demos entrada no processo de guarda e em janeiro do ano passado Mainha assinou a guarda definitiva. Ficamos numa alegria imensa, Mainha ficou aliviada, acho que se sentiu mais segura por ser guardiã definitiva dele.


Em casa comendo tomate. Ele come tomate como
quem come maçã. Acho que ele ainda não tinha 2 anos.


Em casa, vivia mordendo o lábio, eu achava lindo...
Hoje, ele está totalmente diferente.
Quando chegou era desconfiado, cismado, não podia ser contrariado ou ouvir um não que fazia malcriação, tentava bater na gente ou jogava algo no chão (seja alguma coisa que tivesse na sua mão ou qualquer coisa ao alcance), não andava, só corria (se bem que isso não mudou, tenho a impressão que ele pensa que o mundo vai acabar no próximo segundo). Criar Matheus é um processo de paciência, crescimento e aprendizagem diária...
O primeiro de tudo e que exigiu muita paciência foi mostrar e ensinar que ele não podia bater na gente e nem jogar as coisas no chão (este segundo foi mais demorado); bastava proibir ele de fazer qualquer coisa ou repreender por ter feito algo errado que ele vinha dar tapa ou morder, teve uma vez que jogou a cadeira da mesa de jantar no chão e o pior é que bateu no polegar do pezinho dele e ao mesmo tempo que ele chorava e me pedia colo queria bater em mim... Então, sempre que ele tentava ou me batia eu falava que não podia e que tinha que dar beijo e fazer carinho e que não podia bater, aí eu dava um beijo e/ou fazia carinho nele, mas ele tinha pouco mais de um ano e não entendia direito, até, que um dia, fui surpreendida:
Estava em casa sozinha com ele e resolvi fazer um bolo, ele estava brincando entre a cozinha e a sala de jantar (pois não gostava e ainda não gosta de ficar só), quando, de repente ele chegou por trás de mim abraçou minhas pernas e deu um beijo. Só que eu pensei que ele fosse me morder e, pleft, larguei o ovo no balcão por conta do susto. Aí me virei peguei ele no colo e enchi de beijo (com os olhos cheios de água, ele nunca tinha feito isso, ainda hoje me emociono).
Acho que ele se acostumou a ser acarinhado, beijado, abraçado, acho que viu que era melhor e mais agradável e passou a fazer sempre, quando a gente menos esperava ele dava um beijo e um abraço (ainda hoje é assim) e também passou a dizer que ama agente, como fazemos com ele.
Janeiro, em João Pessoa
Tá grande, piadista, vive fazendo gracinha e termina fazendo a gente virar palhaço e criança também.
Não imagino mais minha vida sem este menino, minha mãe então, vive em função dele.
É tão engraçado, ele conquista todo mundo com seu jeitinho brincalhão e carismático, seu sorriso é encantador e contagiante, na escola todos gostam dele, da diretora ao faxineiro, os coleguinhas da sala e seus pais, meus amigos e os pais dos meus amigos (a mãe de Kinha sempre que me vê pergunta logo por ele), os colegas de trabalho de Mainha, os porteiros dos prédios daqui da rua...

Sabe, enquanto estou escrevendo vai passando um filme na minha frente, o primeiro dia de aula, a primeira viagem que fizemos com ele (foi o caminho todo acordado, falando e cantando comigo), a primeira vez que o levei à praia, a primeira vez que fomos a Fazenda Nova, que andou a cavalo, primeira consulta à pediatra, os primeiros exames médicos, a primeira festinha de aniversário conosco (não esqueço a carinha de contentamento dele vendo a gente cantar parabéns (ele adora festas de aniversário)), as primeiras doenças (viroses), o primeiro campeonato de Judô (e a tensão que ele ficou antes de começar e o orgulho por ter ganhado as lutas), as quedas, os sustos, as brincadeiras (lembro tudo)...



Primeiro dia de aula


Aprendendo a comer sozinho...

Uma vez, ele tava com uma virose, pelo menos era o que pensávamos, vivia com o nariz escorrendo e espirrando, não tinha xarope que desse jeito, até que fomos ao médico, e quando ela examinou... Adivinhem o que era?!?!
Um pedaço de espuma do travesseiro que descosturou e não vimos e ele colocou no nariz e como era novinho e não sabia se expressar direito não disse o que era. Ficamos preocupadas e assim que chegamos em casa trocamos logo o travesseiro.

E a primeira vez que dormiu fora de casa (na casa da avó materna)? Vixe, foi horrível, vivia indo no quarto olhar se ele estava dormindo direitinho e na hora que fui dormir fui dar um beijo nele... hunf... Demorei muito a me acostumar com isso.

É tão encantador vê-lo crescendo, aprendendo as coisas, é muito bom e gratificante tudo.
Antes ele trocava o ‘b’ pelo ‘m’ ou ‘n’; ex: quero manana (banana), quero normir (dormir), posso ver tua muneca (boneca)... Aí sempre que ele falava assim eu repetia a palavra certa e ele repetia, hoje, ele fala certinho e quando escuta eu falando bunito, ele diz bonito... Enxerido...

Brincando na piscina, agora está furada, mas mesmo
assim ele ainda usa (pra dar banho nos ainmais de brinquedo)
Essas fotos devem ser de 2007 ou final de 2006 (não lembro)

Hoje fui com ele ao Parque da Jaqueira, passamos o final da tarde lá; ele levou a bicicleta e eu aproveitei que estou caminhando todos os dias e de tênis, e fiquei acompanhando ele, que achou o máximo...
Foi tão engraçado depois que terminei de ensinar a ele a tarefa da escola e disse pra ele lanchar para irmos à Jaqueira ele me deu um abraço apertado e disse sorrindo: “- Obrigado Tia!!!”

Essa semana, inventei uma brincadeira: ele tem um patinete e vive correndo com ele pra cima e pra baixo por dentro de casa e então mandei ele sentar e dei um empurrão bem forte e ele foi da sala até o banheiro, e ele caiu na risada e disse: “-faz de novo, tia!”. Bem, nem preciso dizer que agora vive me pedindo pra eu empurrar, né? E o que ele mas gosta é que fico fazendo macaquice e ele ri muito...

Bem, vou ficando por aqui, depois falo mais...
Espero que tenham gostado. :)

Beijinhos...

Matheus e João Victor.
Primeiro campeonato de Judô, tenso antes do começo.
Uma das lutas do dia, ganhou 1º lugar.
participou de três campeonatos, dois foi 1º lugar e em um 3º.

Comendo leite condensado. Alguém sabe com quem ele
aprendeu isso??? :) Algum dia de algum mês de 2008. :)

Janeiro, no Parque da Jaqueira


Janeiro, no Game Satatio.
Em Casa. Janeiro.
Brincando em casa, é assim, ele anda a casa toda com os bichos na mão...
Andando de bicicleta na frente de casa. Olha os balanços que falei...

João Pessoa/Jan-2009
Com Nuno - João Pessoa/Jan-2009
Emburrados porque não viram as cobras. João Pessoa/Jan-2009

Zoo - João Pessoa/Jan-2009
Um dia aqui em casa.
AMO MUITO!!!!!!!

12 comentários:

Cherry disse...

é um menino muito lindo, Cecilia.
é tão bom ter toda essa vivacidade, essa peraltice em volta da gente, não?
Muito lindo.

Beijos!

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Como sempre tudo muito bonito por aqui.
Só passei para dar um abraço


No entardecer,
o sol dança com a chuva
e um arco-íris
no horizonte tinge...
Espera a lua surgir
e entre as nuvens
uma estrela luzir.
Depois, a terra sorri
quando na noite escura
o céu clareia...
Um véu de estrelas
abraça a lua cheia...
O poeta fecha os olhos
e sente o poema
correr em suas veias.
A lua deita no mar
e o sol, novamente
beija a areia.

(Sirlei L. Passolongo)

Mai disse...

É mesmo lindo e apaixonante, Cecília.

Beijos, amiga.

DO disse...

Não estou decepcionado,muito menos surpreso,Cecilia. Quem te conhece e acompanha faz tempo sabe o qto ele é importante pra vc e para os seus.Linda a homenagem!!

Beijão!!

Mauri Stern Boffil disse...

Mto fofo... Aqui em casa temos a minha priminha com a história semelhante a do Matheus

Dora disse...

Cecília querida! Demorei prá achar você e seu espaço...rs
Agora vou linká-la, se me permite.
Fiquei feliz em vê-la toda derramada de amor pelo menino mais fofo que já vi! Gostei de perceber como sua dedicação e carinho chegaram até o coração dele e o transformaram nessa criança afetuosa que é, hoje em dia.
Você merece o afeto dele! E ele merece a Tia linda que tem!
Beijos muitos para vocês!
Dora

manzas disse...

Que lindo rapaz!

Redigi no pulsar
Do meu ser
Uma valiosa
Carta guardada...
O sol não nascerá
Sem que passe por lá
Para a ler,
Ou ela será
Lacrada.

(rss)

Obrigada pela visita
e comentário
Que deixou no meu

Pensamentos

O eterno abraço...

-MANZAS-

Zeca disse...

Cecília,

Matheus, menino lindo, inteligente, saudável, sabe valorizar o que tem. Porisso distribui abraços e beijos a todos em sua casa, por todo o amor que vocês têm por ele também.
De tanto amor e carinho que você declara aqui, acredito que todos os teus leitores também já sejam apaixonados pelo Matheus!

Beijos, com carinho.

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Obrigada pela visita e comentário
Que deixou no meu blogger apareça sempre
Abraços e um lindo dia

Fernanda disse...

Cecília, é o que eu digo sempre, o amor ensina-se pelo exemplo!
Dá para sentir que o Matheus é um menino muito amado; desejo que seja sempre assim.

Bom fim de semana!
Bjos

O Profeta disse...

Construí um abrigo no deserto da emoção
Os vales são as ruas de um Deus
Fecha-se a alegria da terra
Um último olhar de amor, solto dos olhos teus

Na noite tudo se perde
Mora a sombra, o desvario
A indomável vontade do amor
Tem a força de um Rio


Bom fim de semana


Mágico beijo

Jens disse...

Uma história de amor fascinante, Cecília. Também bela e carinhosa.
Longa vida, paz e prosperidade para ti e o Matheus.
Beijos para dos dois.