sábado, 28 de fevereiro de 2009

Saudades!!!


Saudades vocês!!!
Sempre me digo que não vou passar tanto tempo assim sem atualizar este blog e sem fazer minhas visitas diárias que me dão tanto prazer e satisfação, porém, às vezes acontecem (pequenos) imprevistos, mas nada que não tem solução...

Vamos ao que interessa, então?

O carnaval foi super tranquilo, fui a Porto de Galinhas e a Enseada dos Corais, mas a maior parte dos dias pratiquei muito exercício: a leitura.
Pois é, meu carnaval não teve frevo, samba e nem maracatu, não teve caboclinhos, caretas, papangus... Teve muita leitura, peguei na biblioteca do AABB três livros da Zibia Gasparetto (
UM AMOR DE VERDADE; O FIO DO DESTINO e O AMOR VENCEU) todos ditado por Lucius. Um Amor de Verdade e O Fio do Destino li da sexta-feira até a segunda à noite e comecei a ler O Amor Venceu na terça; o primeiro é uma linda história e que me fez ver e sentir o que passava com os personagens, me arrepiei, sorri, tive os olhos cheios de lágrimas várias vezes, o segundo um pouco menos intenso, mas também me fez arrepiar, já o terceiro livro é um pouco mais complexo, que me arrepia, fez sorri também e encheu os olhos de lágrimas por vezes, ainda não consegui acabar de ler, suas emoções se misturam às minhas, tem me deixado confusa, feito sonhar com o que tenho lido, acho que estou um pouco impressionada pela leitura, talvez por se tratar de uma história verídica (pelo menos é o que diz no prólogo, e não duvido, pois as sensações que tenho quando leio e a forma tem mexido com meu íntimo é inexplicável...).

Há algum tempo tenho tentado me espiritualizar, voltei a ir à Igreja, sou católica, minha família é católica, mas sempre senti um certo fascínio pelo espiritismos sempre me senti atraída por essa religião (ou doutrina) e a vida sempre tratou de colocar pessoas ligadas a esta religião no meu caminho, sempre me fez passar por determinadas situações que quando olho e penso acredito cada vez mais no espiritismo, nas vidas passadas, na vida após a morte e sempre desejo ter forças para encarar as separações (mortes) das pessoas queridas quando elas acontecerem, é bem verdade que não penso nisso, mas lendo estes livros me lembrei que um dia isso acontecerá, mesmo que demore, e é o que desejo...Tenho analisado bastante as coisas que têm acontecido comigo, seja com relação a mim mesma ou com relação às pessoas que passaram e que fazem parte de minha vida, as pessoas que simpatizei de imediato ou que antipatizei, os amores, os sorrisos, as lágrimas, as vezes que me senti injustiçada por algo... E cada vez mais vejo que não estou aqui por simples obra do acaso, mas ainda não sei ao certo para que vim e isto me desespera às vezes... Sei que tenho que ter paciência, que vou em breve descobrir o propósito de minha vida, mas às vezes sinto uma certa angústia...
Vi que o post anterior gerou muitos comentários por parte dos leitores, algumas pessoas se mostraram revoltadas, outras solidárias com os meus sentimentos...
Quando li o e-mail (que motivou o post) tive um misto de sentimentos que ainda não tinha experimentado, sorri a princípio, achando aquilo ridículo, depois um pouco triste e um pouco revoltada, afinal, aquele texto falava de sentimentos meus, senti também uma certa alegria misturada com uma pitada de orgulho, pois estava seguindo minha vida numa boa, andando pra frente sem olhar pra trás, nem me lembrava do que tinha escrito até que ele (‘W’) mandou o e-mail e vi de alguma forma ele ainda pensava em mim, não nego que me satisfiz ao perceber isso, mas de uma certa maneira desejei que ele não tivesse mandado o tal e-mail, pois me fez relembrar algumas coisas que já estavam empoeiradas na estante da minha vida e então postei como se fosse um desabafo ou coisa parecida; não o escrevi aquele texto para ser bonito, na verdade se tratava de um desabafo, fui escrevendo e depois dispus as palavras como quis e a principio nem iria mandar para ele, mas resolvi fazer isso porque ele sempre colocava meus sentimentos por ele à prova e eu estava decidida a virar aquela página da minha vida e foi escrevendo o que estava sentindo que coloquei um ponto final (pelo menos foi o que pensei) naquele capitulo e que dei o primeiro passo para começar um novo capitulo, dois dias depois daquilo tudo conheci um rapaz que no mesmo dia se tornou meu namorado, porém, o ‘W’ resolveu me procurar e eu já estava namorando há quase um mês, ele se mostrou revoltado e chateado com aquilo disse pra acabar o namoro falei que não faria isso e com raiva ele foi embora; pensei que estava tudo bem, tudo resolvido mas 15 dias depois aproximadamente ele voltou a ligar mais uma vezes falou pra acabar o namoro etc e tal, e assim continuamos, eu namorando e ele de quando em vez me ligando pra saber se ainda namorava ou não até que um dia ele ouviu o que tanto queria, continuou ligando às vezes, veio aqui em casa até que um dia me chamou pra sair, perguntei por que pois não via necessidade disso e ele disse que precisávamos conversar sobre nós, aceitei, passamos a noite quase toda conversando e não chegamos a nenhuma definição, quer dizer, nenhum definição com relação a um namoro, um relacionamento sério e firme e com a paciência no limite joguei ‘na cara’ dele que ele não queria nada sério comigo e só me procurava pra tentar o que conseguia com todas que passavam pela vida dele e que mesmo depois de mais de um ano ele não tinha conseguido ainda comigo e que dificilmente conseguiria por sua atitude comigo, ele insistiu em dizer que estava enganada, mas sabem o que aconteceu depois desse nosso encontro? Nada, quer dizer passamos quase um mês se nos falar e um dia ele me ligou ‘P’ da vida porque eu não ligava (telefonava) para ele e tudo mais, conversamos um pouco e mais um tempo passou até que ele me mandou o e-mail, respondi perguntando o que ele queria dizer como aquilo, a resposta veio com uma ligação no domingo mais uma vez reclamou porque eu não o telefonava e eu disse que não tinha o que falar com ele que se exaltou e falou do nosso último jantar do quando gostava de estar comigo e da química que rola entre a gente, mas ele se irritou com minha aparente indiferença e desligou o telefone, fiquei preocupada e no dia seguinte liguei pra ele, mas o celular deu desligado e na terça-feira ele ligou dizendo que o celular tinha descarregado e veio com uma conversa que me fez sorrir, imaginem que falou que iria me dar uma aliança de noivado, oxe, a gente nem nunca namorou... Hunf, conversamos por quase uma hora, ele disse que iríamos almoçar na quinta-feira pois precisávamos conversar e me telefonaria para combinar como faríamos, concordei, mas intimamente tinha certeza que isso não aconteceria.
Bingo! Acertei! Ainda bem que não esperei a ligação dele, pois a esta hora estaria fraca de fome... Rsrs...
Bem, não sei por que escrevi tudo isso, uma vez que me sinto tranquila com relação a tudo isso, só queria que ‘W’ encontrasse uma Mulher, alguém que fizesse ele se sentir bem e ocupasse os seus pensamentos, pois vejo que ele anda ‘cheio’ dessas garotas com quem ele se relaciona, porque ando com minha paciência no limite com esse chove não molha, acho que com uma Mulher em sua vida colocaríamos um ponto final em toda essa situação, pois não aguento mais as reticências (agora, se não for pra ter outra mulher em sua vida, que ele se decida de uma vez por todas e que veja que não sou uma boneca que coloca e tira da prateleira a hora que quer e bem entenda).
Me desculpem por encher vocês com meus desabafos, espero que não se chateiem por isso. :)
Vejamos o que vai acontecer, afinal, o amanhã a Deus pertence!
(Hi, O Amanhã a Deus Pertence é o próximo livro que vou ler) :)

Beijos, Beijos!!!

Imagem Aqui

17 comentários:

Marco disse...

Ora, ora... é incrível como os relacionamentos são complexos! Eu acho que já vivi alguma situação desse tipo e sei, no meu caso, pelo menos, que enquanto a gente não fecha o livro e coloca na estante, a gente vai ficar lendo a mesma história eternamente.

Sobre a questão da espiritualidade, acho fundamental. Seja qual o caminho, catolicismo, espiritísmo, qualquer "ísmo" é importante seguir algo, ter fé em algo, acreditar em algo. Às vezes quando eu me sinto fraco e sempre me volto para a minha espiritualidade, para o divino. Todos os caminhos levam ao mesmo lugar e é isso o que importa. Beijos

Cecília disse...

Concordo com você, Marcos, nos dois pontos de vista, não adianta forçosamente tentar colocar um ponto final em uma história que só tem reticências...
E falando em religião ou espiritualidade, não há dúvidas que algo Superior, Divino rege nossas vidas fazendo com que sempre aprendamos mais e acredito que independe da religião escolhida é sempre bom ter fé, acreditar em algo maior, ter esperanças e a certeza de dias melhores, não importa o caminho, o que importa é o que temos no coração.

Beijo Grande!

€ster disse...

Oi querida Cecília!

Obrigada pela sua participação que é essencial para o êxito dessa Blogagem!

Já confirmei seu blog na listagem,

bjs!

Eurico disse...

Cecília, que saudade. Bom ver vc bem. E não perca tempo com o W. A fila deve andar...rsrsrs VC é jovem, bonita e inteligente. Levante a cabeça e siga em frente.
Abraçamigo e fraterno.

Zeca disse...

Cecilia,

concordo plenamente com o que disseram o Marco e o Eurico. Na minha opinião essa história com o W só está precisando mesmo é de um ponto final para que você continue sua vida, com esse lindo e meigo sorriso que encanta a todos. Não me parece que ele tenha um relacionamento saudável para lhe oferecer e você merece muito mais que um sujeito repleto de dúvidas e de egos...
Quanto à espiritualidade, também concordo que não importa o caminho escolhido, pois todos levam a Deus. Eu também sou católico, mas gosto muito da doutrina espírita, que tem respondido muitas dúvidas e apaziguado muitas inquietações. Se quiser, dê um pulinho no blogue da Jeanne, tem link lá no Janelas. É um dos blogs espíritas que eu mais gosto de ler.

Grande beijo, minha querida!

Mai disse...

Oi, querida,

minha saudade é de você. E se você estiver em, ficarei feliz.

O blog atualizado e colorido é muito mais bonito.

Carinho,

mai

Ceci disse...

olá, amiga, sobre a questão da espiritualidade, sua indadagação corresponde certamente a essa fase de maior maturidade e consciência. Passei muitos anos na busca de um caminho que a igreja católica não mais me mostrava, apesar dos rituais, algo faltava no mais fundo de mim mesma... foram anos. Felizmente encontrei um caminho no qual estou calma, tranquila, me sinto mais próxima de Deus, do divino em mim, em nós. Que vc também encontre o seu, sem pressa, pacientemente, observando a vc mesma, com certeza há de achar o melhor para seu desenvolvimento.

Jeanne disse...

Olá, eu fui criada como católica mas só fui me "achar" de fato no espiritismo.
Mas pouco importa o nome, ou a religião, nem precisas te definir, o importante é a fé e a busca de uma maneira de viver mais espiritualizada.
Eu acho que o futuro da humanidade será sem divisões de religião.
Ótima semana, beijos

meus instantes e momentos disse...

tem momentos na vida que somos cercados por questionamentos feitos por nos mesmos. São expectativas, angustias, medos, incertezas.Não devemos deixar tudo pra Deus resolver, temos que correr atras do que desejamos, expulsar nossos fantasmas.
E que se deixe de ser uma boneca na prateleira da vida.
As definições e decisões devem vir de vc. E não deixar que os outros decidam nosso destino.
Maurizio

Mauri Stern Boffil disse...

Eu ando lendo Edgar Allan Poe... medo dele!
Ai, não desapareça mais...
Relacionamentos são tão complicados...
Beijos

DO disse...

O "UM AMOR DE VERDADE" eu li e é mesmo um livro muito bom,Cecilia. Acho legal passar as festas de momo como vc passou,mas eu tinha quase certeza que vc iria desfrutar da folia de forma mais animada,rsss. Mas ta tudo valendo,né?

Sobre a polêmica do texto anterior,por mais dificil que seja,tenho certeza que é chegada a hora de um belo BASTA. A vida tem que seguir...

Beijão e uma linda semana!

loba disse...

Cecilia linda!
Vc tá igualzinha a mim...rs... mas nossos sumiços são involuntários e provisórios, né?
Li o comentario do Marco e pensoe igualzinho a ele. Tanto em relação a livros (que a gente vai remoendo) até a questão da espiritualidade. Interessante que faz bem pouc tempo que estou me voltando pra ela. Mas nunca é tarde pra se encontrar um bom caminho, né?
Um beijo queridinha

Beti Timm disse...

Eta menina arretada!

Mas apesar das suas confusões amorosas, é muito bom te ler. E assim que deve ser, escrever o que se gosta, sem se preocupr se vai agradar ou não, e é assim que agradamos, pq somos autênticas. E não esquenta não, eu já tive uns...nossa acho que dez "W" na minha vida. "Eles passaram e eu passarinho". Só serviram de expêriencia!

Beijos carinhosos

Jeanne disse...

Claro que podes linkar o blog, aliás já estas linkada.
Só não fiz ontem pq estava na correria.
Beijos

ronaldo disse...

oi cecil! estava sumida

hum... sabe... eu tenho descoberto que algumas pessoas não se envolvem por gostar. Talvez seja uma... uma... (como dizer?)... uma fixação, um costume, um hábito ou qualquer coisa parecida. Mas amor ou atração, não. Talvez seja uma necessidade de não ficar sozinho mesmo que não esteja de fato, acompanhado.


Só sei que nós é que devemos tomar a atitude de não entrar em situação assim e fazer o mesmo. É tão ruim quando entramos numa historia de "chove e não molha". Pior quando nós mesmos, não saimos dela. Porque ficamos esperando que alguma mudança aconteça, e essa mudança, nunca acontece.



Beijos!!!

Anônimo disse...

http://prixviagrageneriquefrance.net/ acheter viagra
http://commanderviagragenerique.net/ prix viagra
http://viagracomprargenericoespana.net/ viagra
http://acquistareviagragenericoitalia.net/ acquistare viagra

Anônimo disse...

http://prixviagragenerique50mg.net/ viagra
http://prezzoviagraitalia.net/ prezzo viagra
http://precioviagraespana.net/ precio viagra