sexta-feira, 23 de julho de 2010

Motivos de alegria (e felicidade)

O simples fato de estar viva, ter uma família maravilhosa e saúde já é um razão suficiente para ser feliz e muito.
Alegria e felicidade: são a mesma coisa ou são coisas diferentes?
Na minha humilde opinião coisas diferentes que estão relacionadas.
Felicidade pra mim não é apenas um estado de espírito momentâneo, é algo que trazemos na alma e se reflete nos olhos, sorriso, no corpo por inteiro, não precisa necessariamente de um estímulo.
A alegria por sua vez é um instante, algo que precisa de estímulo externo. É o reflexo de algo que nos agrada e também se reflete nos olhos, sorriso, no corpo por inteiro, penso que é o oposto da tristeza.
Motivos de felicidade e alegria? Tenho e são muitos!!! E ultimamente estou num estado constante de alegria.
Motivos para comemorar? São vários, desde a minha família até meus amigos, passando é claro pelo meu coração que está mais aquecido e a cada dia bate mais forte.


Minha família não é a mais perfeita (acho que nem existe isso), mas é a melhor do mundo (desculpem-me amigos, mas tenho que falar a verdade), desentendimentos, chateações, união, brincadeiras, sorrisos, lágrimas, amor... Tudo que existe numa boa família, e algumas coisinhas mais, só nossas. Tenho uma avó linda e super inteligente, que apesar da idade (93anos) é lúcida e muito boa companhia, uma das melhores que pode existir; tios muito legais que se preocupam comigo (as vezes muito mais do que gostaria, 'invadem a área'. Rsrs... mas faz parte) e com quem aprendi muito; primos que já tive raiva por me chatearem, mas que gosto muito, que se preocupam comigo e que também me ensinaram muito; lindos sobrinhos.

“Esta família é muito unida
E também muito ouriçada
Brigam por qualquer razão
Mas acabam pedindo perdão...

Pirraça pai!
Pirraça mãe!
Pirraça filha!
Eu também sou da família
Eu também quero pirraçar.
...”


Meus amigos não são muitos, conto nos dedos das mãos (e sobram dedos). Mas são pessoas que conhecem meus defeitos e me aceitam como sou (estressada, mal humorada, doida, arrebatada, dual (muito tímida e calada e tagarela), mandona, desaforada...), que já me deram o ombro pra chorar e já sorriram comigo e também choraram no meu ombro, amigos com quem fiz (e faço) farra e também já tive momentos tranquilos (cinema e conversas). Amigos que topam minhas loucuras, que assim como eu não se preocupam com o que as pessoas possam falar ou pensar. Gente(s) boas, autênticas, sem preconceitos, que têm defeitos (todos temos), mas que têm um coração enorme.

“Mais uma vez caí no chão
E me estenderam a mão
Num mundo cheio de traições
Nós somos mais que irmãos

Tem algo errado mas vejo meu lado
Ainda bem que tenho vocês
Mas a verdade é que lealdade
Ou você tem ou não tem

Ehey
Quero dizer que você pode contar comigo
...”


Meu branquinho, quando penso em nós dois fico sorrindo, não só por estar apaixonada, mas porque vejo nele meu oposto. Ele é tranquilo e paciente, eu, arrebatada e imediatista; ele pensa antes de falar ou fazer algo, eu faço e falo e depois penso (as vezes); ele é razão e eu (pura) emoção...
Ele é meu ponto de equilíbrio (minha inspiração, meu incentivo).

“O meu coração está feliz por causa de você
Minha vida mudou de vez depois que você chegou
Sou outra pessoa, uma pessoa bem melhor

E se o amor tivesse uma cor, seria a sua
Se fosse branca a cor, seria a mais bela das luas
Toda a beleza que o amor pedir, eu quero pra você
O melhor de mim
...”


As vezes faço cara feia, reclamo da vida e me arrependo sempre que coloco o pé para fora de casa e vejo crianças na rua, idosos esmolando, pessoas que não sabem ler e escrever, me arrependo sempre que assisto aos noticiários e vejo mulheres sendo maltratadas, pais espancando e abusando dos filhos, mortes em famílias por causa de dinheiro ou motivos fúteis. Poxa, tenho uma vida tão legal, claro que tenho problemas, que as vezes brigo com minha família (com meu pai e meu irmão, então), que me chateio com meus amigos, mas isso é normal e tudo sempre acaba bem, tudo fica numa boa...
Meus pais se preocupam comigo (e muito), me educaram, me proporcionaram estudar nas melhores escolas da cidade (agora voltei a estudar e mais uma vez estão bancando), me deram um lar (não só uma casa), minha mãe é minha amiga, confia em mim de olhos fechados. O que mais posso querer da vida? Amigos sinceros? Tenho. Um amor para aquecer o coração? Também tenho. Uma família legal e grande? A minha é enorme.


Bem é isso!

Vou colocar o pé na estrada de novo! Até a volta!


Foto tirada voltando de Fazenda Nova/PE

8 comentários:

Jota Effe Esse disse...

Minha querida, o teu blog é um festival de alegria. Que bom, num mundo tão cheio de tristezas! Meu beijo.

Principe Encantado disse...

Nada melhor que o aconchego de um lar feliz, que Deus o amntenha sempre assim.
Abraços forte

EDUARDO POISL disse...

Hoje passando para agradecer sua visita e carinho.

Abraços com carinho

Quem tem um amigo, mesmo que um só, não importa onde se encontre, jamais sofrerá de solidão; poderá morrer de saudades, mas não estará só.
Amir Klink

Tatiana disse...

Ter uma família é um porto seguro que nos faz viver sem medo.
Sabemos que sempre estarão lá para nos acolher.
Fico feliz em saber que a sua família é assim...
Deus os ilumine sempre!
Bom passeio!

Um beijo com o meu carinho

tossan disse...

Você é riquíssima e tem um cais. Muitos a invejam. Aproveite! Beijo

Jens disse...

Via bela, Cecília. Que bom!!!

Beijo.

Claudinha ੴ disse...

Oi menina!
A família é a base, a sustentação, o Norte. Nem sempre é feita só de laços de sangue, há os laços de espírito, que são mais fortes e mais leais. Eu fico feliz que tenha a sua família e que tenha percebido sua importância. Um beijo e tudo de bom!

Carlos Medeiros disse...

família unida é tudo de bom.