sexta-feira, 23 de julho de 2010

Motivos de alegria (e felicidade)

O simples fato de estar viva, ter uma família maravilhosa e saúde já é um razão suficiente para ser feliz e muito.
Alegria e felicidade: são a mesma coisa ou são coisas diferentes?
Na minha humilde opinião coisas diferentes que estão relacionadas.
Felicidade pra mim não é apenas um estado de espírito momentâneo, é algo que trazemos na alma e se reflete nos olhos, sorriso, no corpo por inteiro, não precisa necessariamente de um estímulo.
A alegria por sua vez é um instante, algo que precisa de estímulo externo. É o reflexo de algo que nos agrada e também se reflete nos olhos, sorriso, no corpo por inteiro, penso que é o oposto da tristeza.
Motivos de felicidade e alegria? Tenho e são muitos!!! E ultimamente estou num estado constante de alegria.
Motivos para comemorar? São vários, desde a minha família até meus amigos, passando é claro pelo meu coração que está mais aquecido e a cada dia bate mais forte.


Minha família não é a mais perfeita (acho que nem existe isso), mas é a melhor do mundo (desculpem-me amigos, mas tenho que falar a verdade), desentendimentos, chateações, união, brincadeiras, sorrisos, lágrimas, amor... Tudo que existe numa boa família, e algumas coisinhas mais, só nossas. Tenho uma avó linda e super inteligente, que apesar da idade (93anos) é lúcida e muito boa companhia, uma das melhores que pode existir; tios muito legais que se preocupam comigo (as vezes muito mais do que gostaria, 'invadem a área'. Rsrs... mas faz parte) e com quem aprendi muito; primos que já tive raiva por me chatearem, mas que gosto muito, que se preocupam comigo e que também me ensinaram muito; lindos sobrinhos.

“Esta família é muito unida
E também muito ouriçada
Brigam por qualquer razão
Mas acabam pedindo perdão...

Pirraça pai!
Pirraça mãe!
Pirraça filha!
Eu também sou da família
Eu também quero pirraçar.
...”


Meus amigos não são muitos, conto nos dedos das mãos (e sobram dedos). Mas são pessoas que conhecem meus defeitos e me aceitam como sou (estressada, mal humorada, doida, arrebatada, dual (muito tímida e calada e tagarela), mandona, desaforada...), que já me deram o ombro pra chorar e já sorriram comigo e também choraram no meu ombro, amigos com quem fiz (e faço) farra e também já tive momentos tranquilos (cinema e conversas). Amigos que topam minhas loucuras, que assim como eu não se preocupam com o que as pessoas possam falar ou pensar. Gente(s) boas, autênticas, sem preconceitos, que têm defeitos (todos temos), mas que têm um coração enorme.

“Mais uma vez caí no chão
E me estenderam a mão
Num mundo cheio de traições
Nós somos mais que irmãos

Tem algo errado mas vejo meu lado
Ainda bem que tenho vocês
Mas a verdade é que lealdade
Ou você tem ou não tem

Ehey
Quero dizer que você pode contar comigo
...”


Meu branquinho, quando penso em nós dois fico sorrindo, não só por estar apaixonada, mas porque vejo nele meu oposto. Ele é tranquilo e paciente, eu, arrebatada e imediatista; ele pensa antes de falar ou fazer algo, eu faço e falo e depois penso (as vezes); ele é razão e eu (pura) emoção...
Ele é meu ponto de equilíbrio (minha inspiração, meu incentivo).

“O meu coração está feliz por causa de você
Minha vida mudou de vez depois que você chegou
Sou outra pessoa, uma pessoa bem melhor

E se o amor tivesse uma cor, seria a sua
Se fosse branca a cor, seria a mais bela das luas
Toda a beleza que o amor pedir, eu quero pra você
O melhor de mim
...”


As vezes faço cara feia, reclamo da vida e me arrependo sempre que coloco o pé para fora de casa e vejo crianças na rua, idosos esmolando, pessoas que não sabem ler e escrever, me arrependo sempre que assisto aos noticiários e vejo mulheres sendo maltratadas, pais espancando e abusando dos filhos, mortes em famílias por causa de dinheiro ou motivos fúteis. Poxa, tenho uma vida tão legal, claro que tenho problemas, que as vezes brigo com minha família (com meu pai e meu irmão, então), que me chateio com meus amigos, mas isso é normal e tudo sempre acaba bem, tudo fica numa boa...
Meus pais se preocupam comigo (e muito), me educaram, me proporcionaram estudar nas melhores escolas da cidade (agora voltei a estudar e mais uma vez estão bancando), me deram um lar (não só uma casa), minha mãe é minha amiga, confia em mim de olhos fechados. O que mais posso querer da vida? Amigos sinceros? Tenho. Um amor para aquecer o coração? Também tenho. Uma família legal e grande? A minha é enorme.


Bem é isso!

Vou colocar o pé na estrada de novo! Até a volta!


Foto tirada voltando de Fazenda Nova/PE

terça-feira, 20 de julho de 2010

Voltei

Passei o último final de semana em Porto Alegre/RS. Fui fazer prova para o TRE (Tribunal Regional Eleitoral). Infelizmente choveu o final de semana todo e apenas na segunda-feira, o dia de voltar para casa, é que a chuva deu uma trégua e pudemos dar um pequeno (pequeníssimo) passeio, fomos até o Parque Farroupilha, acho que não ficava nem a 2km de distância do hotel.
Mas isso não foi o melhor da viagem! O melhor de tudo (além de estar com o meu amor) foi poder conhecer pessoalmente a Beti Timm.
Ela é exatamente como imaginei: bem humorada, um alto astral que contagia, uma força que coloca a gente pra frente e não deixa cair (e se cair levantar rapidinho)... Vocês não têm ideia de como foi bom poder tê-la conhecido pessoalmente e poder dar o abraço apertado que tantas vezes quisemos (e precisamos) nos momentos de crises e em que uma confidenciava a outra os sentimentos por e-mail e depoimentos no orkut; agora ficou a saudade e o desejo de revê-la mais vezes, de ter mais tempo para conversar e a certeza que apesar de tudo ainda existem pessoas maravilhosas, até mesmo na net. (Desta vez estava com a máquina em mãos e pude registrar o encontro, coisa que infelizmente não fiz quando conheci o Sérgio em Maceió/AL, em fevereiro. Falha minha...)


Ganhei dois desenhos da Beti: um quadro (que em breve ganhará uma moldura e ficará no meu quarto) e um outro menor feito em um papel (parece ser cartolina) que também ganhará uma moldura. Lindos Demais!!! Ah, ela também me deu o desenho que fez de meu rosto. Muito Lindo!!!
A Beti é uma artista de mãos cheias. Desde que a conheci percebi que ela tem se aperfeiçoado cada vez mais em sua arte, da orgulho e gosto de ver, se quiserem conhecer um pouco mais de sua arte é clicar aqui.



Foi uma viagem ótima, apesar do pouco tempo que passei na cidade e do mau tempo, não falo nem pelo frio, terminei me acostumando um pouquinho (a única coisa que não gostava era lavar as mãos, sempre ficavam dormentes porque a água da torneira era muito, muito fria), o problema era a chuva que piorava sensivelmente o frio, principalmente por causa do vento, toda vez que saía do hotel ficava com o nariz e as bochechas vermelhos. Teve uma coisa que não gostei muito: o atendimento de alguns recepcionistas do hotel (acho os recepcionistas daqui, de João Pessoa, Natal, mais prestativos. Perguntamos sobre restaurantes perto do hotel e não se deram nem ao trabalho de perguntar se tínhamos alguma preferência, se poderiam sugerir algo, apenas indicaram uma rua transversal a que estávamos e pronto) .


Parque Farroupilha

Minha mania de imitar estátuas.

Mi Amor

Ele não tem muita paciência para
esperar eu me arrumar para a foto
(nesta eu estava 'brigando' com o
vento que insistia em colocar os
cabelos no meu rosto), o bom é
que fica bem espontânea.



Beijinhos a todos!!!

Aproveitando o momento desejo a todos vocês um Ótimo Dia do Amigo!


Imagem aqui





Imagem aqui