terça-feira, 31 de maio de 2011

31/05 – Dia Mundial Sem Tabaco

Esta data foi criada em 1987, na Assembléia Mundial de Saúde e desde então, a Organização Mundial da Saúde (OMS) articula esta atividade em todo o mundo, definindo um tema a ser abordado a cada ano.
Algumas pessoas sabem e outras não, já fumei e por bastante tempo – 8 anos – comecei aos 15 anos, o ‘engraçado’ é que nunca gostei do cheiro do cigarro, mas gostava de fumar, sentia até um certo prazer principalmente quando fuma cigarros com sabores (menta, canela, chocolate) além de a fumaça ser menos fedida o gosto era menos ruim (pra não dizer bom), mas também era bem mais forte que os cigarros comuns, os primeiros que fumei me deixavam tonta. Como não gostava do cheiro que o cigarro deixava na roupa e no cabelo fuma de acordo com o vento, para que a fumaça fosse para o outro lado (sem falar que meu pai odeia cigarro e sabia que seria uma confusão se ele desconfiasse, então fazia tudo para que ele não percebesse o cheiro em mim) e não fumava perto de pessoas que não fumassem (principalmente porque minha mãe não fumava perto de mim e quando eu chegava perto dela recebia uma reclamação) isso é acima de tudo respeito ao outro.
No começo eu fumava uns 2 cigarros por dia, passava até vários dias sem fumar, mas a quantidade de cigarros foi aumentando e comecei a fumar até em casa e aí precisei usar de alguns artifícios que não me agradavam muito, como fumar no quarto – como moro em casa ficava mais fácil de ‘enrolar’ meu pai: fechava a porta, acendia um incenso (adoro incenso), sentava na janela, ligava o som e ficava olhando o céu, depois chupava uma pastilha. Cheguei a fumar uma carteira de cigarro por dia (20) e quando saia para beber era terrível, aí que fumava bastante.
Mas o mais irônico nisso tudo é que quando eu fumava não namorava rapazes que fumavam (na verdade, ele odiava cigarro e foi um dos motivos que me fez parar) e hoje que não fumo mais namorei com dois rapazes que fumavam e gosto de um fuma... Dá pra acreditar?
Não acredito que fumar seja sinal de fraqueza, mas acredito que parar de fumar seja sim um sinal de força e força de vontade. Posso falar com propriedade que não é nada fácil, mas é acima de tudo uma questão de QUERER e não “querer”. Não adianta falar faz mal, que mata ou qualquer coisa do tipo, tem que ser um desejo íntimo e pessoal; desde o ano passado várias pessoas da minha família pararam de fumar (minha avó, tia Chica, tia Léo, Mainha, meu irmão) por vários motivos e razões diferentes, mas a maioria delas por ter crianças pedindo (e até chorando) para que parassem de fumar.
O cigarro deve matar em 2011 quase 6 milhões de pessoas em todo o mundo – dessas, 600 mil são fumantes passivos. O número representa uma morte a cada seis segundos. Até 2030, a estimativa da Organização Mundial da Saúde (OMS) é que 8 milhões de pessoas podem morrer em consequência do fumo. (fonte)


Tabagismo passivo

Define-se tabagismo passivo como a inalação da fumaça de derivados do tabaco (cigarro, charuto, cigarrilhas, cachimbo e outros produtores de fumaça) por indivíduos não-fumantes, que convivem com fumantes em ambientes fechados. A fumaça dos derivados do tabaco em ambientes fechados é denominada poluição tabagística ambiental (PTA) e, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), torna-se ainda mais grave em ambientes fechados. O tabagismo passivo é a 3ª maior causa de morte evitável no mundo, subseqüente ao tabagismo ativo e ao consumo excessivo de álcool (IARC, 1987; Surgeon General, 1986; Glantz, 1995). 


O ar poluído contém, em média, três vezes mais nicotina, três vezes mais monóxido de carbono, e até cinqüenta vezes mais substâncias cancerígenas do que a fumaça que entra pela boca do fumante depois de passar pelo filtro do cigarro.

A absorção da fumaça do cigarro por aqueles que convivem em ambientes fechados com fumantes causa:
1 - Em adultos não-fumantes:
• Maior risco de doença por causa do tabagismo, proporcionalmente ao tempo de exposição à fumaça;
• Um risco 30% maior de câncer de pulmão e 24% maior de infarto do coração do que os não-fumantes que não se expõem.
2 - Em crianças:
• Maior freqüência de resfriados e infecções do ouvido médio;
• Risco maior de doenças respiratórias como pneumonia, bronquites e exarcebação da asma.
3 - Em bebês:
• Um risco 5 vezes maior de morrerem subitamente sem uma causa aparente (Síndrome da Morte Súbita Infantil);
• Maior risco de doenças pulmonares até 1 ano de idade, proporcionalmente ao número de fumantes em casa.


Um estudo feito pelo Ministério da Saúde mostra que entre 2006 e 2010 a proporção de brasileiros fumantes caiu de 16,2% para 15,1%. Entre os homens, a queda foi maior – o hábito de fumar passou de 20,2% para 17,9%. Entre as mulheres, o índice permaneceu estável em 12,7%. Pessoas com menor escolaridade - até oito anos de estudo - fumam mais (18,6%) que as pessoas mais escolarizadas - 12 anos ou mais (10,2%). (mais)

Imagens da internet




TOPBLOG, estou participando. Vote aqui
  

4 comentários:

✿ chica disse...

Falta concientização dos fumantes,não? beijos,chica

Roy disse...

Cigarro e uma droga :-(

Beijos, linda!

Roy

Beti Timm disse...

Eu mais do que ninguém sei os malefpicios do cigarro, mas tb aprendi que pra quem fuma é muito difícil deixar o vício. Então passei a ser mais compreensiva, mas fumar é muito ruim mesmo!

Beijinhos sorrisinho

Anônimo disse...

http://achatcialisgenerique.lo.gs/ acheter cialis
http://commandercialisfer.lo.gs/ commander cialis
http://prezzocialisgenericoit.net/ compra cialis in italia
http://preciocialisgenericoespana.net/ precio cialis