quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Mais de 30 mil morte/dia. É possível??


Semana passada a nossa corte suprema em julgamento inédito e polêmico abriu mais uma brecha para a (aumentar a certeza da) impunidade: Os ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) decidiram retirar a acusação de ‘homicídio doloso’ (quando há intenção de matar, direto, ou quando a pessoa assume os riscos, indireto) do processo de um jovem embriagado que atropelou uma mulher em São Paulo em 2002.
Os ministros entenderam que ‘o rapaz não bebeu com a intenção de matar alguém’ e por isso resolveram retirar do processo a acusação de homicídio doloso (com pena que varia de 6 a 20 anos podendo ser aumentada para 12 a 30 anos de prisão), que passa a ter acusação de homicídio culposo (com pena de 2 a 4 anos, salvo engano, e que dependendo dos antecedentes essa pena é transformada em medida sócio-educativa, ou seja, o cara mata e não é preso).
Agora pergunto: Quem bebe com intenção de matar alguém? Ninguém! Até onde sei e vejo, quando bebemos um bar/restaurante ou em uma festa é porque temos a intenção de nos divertir, relaxar, descontrair... Mas uma coisa é fato: quem bebe e resolve dirigir sabe que está cometendo um crime tipificado em lei, sendo assim, quando resolve fazê-lo está assumindo os riscos dos seus atos (homicídio doloso indireto). Quando era criança e até hoje sempre ouvi meu pai dizer que carro é uma arma, não entedia muito bem, mas a cada dia que passa sei bem o que isso quer dizer: carro é um meio de transporte que quando não é usado com responsabilidade se transforma em uma arma em potencial e quando usado aliado ao uso de drogas (porque é assim que a bebida alcoólica deve ser tratada) se transforma em uma arma que no ano mata mais de 30 mil pessoas/cidadãos/mães e pais/jovens; na verdade, quase 40 mil.
A nossa Constituição Federal é provavelmente a mais emendada das constituições (67 emendas até 2010), o Brasil é talvez o país que mais tem lei, leis que se contrapõem, que se contradizem e sendo assim não poderia deixar de ser diferente, é o país da impunidade, o país que mais beneficia criminosos.
Basta de leis inúteis, leis que beneficiam o crime e estimulam a impunidade!
Basta de corrupção, subornos, propinas!
















Matérias sobre o assunto:
A ligação perigosa entre direção e bebida (matéria que serviu de base para o post)




Instiruto Sangari

Resta a pergunta:
Que País é esse???


Ao clicar nas imagens você será direcionado ao site de onde ele foi retirada.






























MOVIMENTO CONTRA A CORRUPÇÃO (link)

II - MARCHA CONTRA A CORRUPÇÃO
No Recife: Edf. Acaiaca, Av Boa Viagem - 12/10 às 14h

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Reencontro - um conto


Quando se conheceram Roberta tinha 18 e Cristiano 21, foi paixão à primeira vista. As coisas aconteceram de forma inesperada, ao acaso, se não fosse por destino. Estavam em um congresso de Arquitetura, ela como estagiária da empresa de divulgação do evento (cursava 1º ano do curso de marketing) e ele participava como congressista.
Foi uma semana de encontros e desencontros, de trocas de olhares que diziam mais que milhares de palavras, aquela sexta-feira era o último dia do congresso, e ele sabia que poderia ser sua última e talvez única chance de se aproximar, de tentar falar algo. Ela tinha um rosto angelical, um olhar marcante e um corpo que chamava atenção quando caminhava com desenvoltura e graça, apensar da aparente timidez, pelo salão. Tentando, em vão, controlar as batidas do coração, Cristiano se aproximou, depois de se apresentar e trocar com ela poucas palavras, reservadamente a convidou para sair após o encerramento do evento. Mesmo com certa hesitação Roberta resolveu aceitar o convite, ela sentia que aquele rapaz dono de lindos olhos verdes era o seu grande amor.
            Foram a um restaurante no centro histórico da cidade, a noite foi muito agradável e as horas passaram céleres. Conversaram sobre suas vidas, sonhos, planos para o futuro, descobriram que tinham muitas coisas em comum e também muitas diferenças que em nada diminuíam a paixão que surgia entre eles.
            Sábado a tarde Cristiano voltou para sua cidade com a promessa de entrar em contato com ela assim que chegasse e Roberta esperançosa desejava que seu amado cumprisse a promessa feita no momento do embarque. A ansiedade era grande e as horas passavam lentas para ambos, o desejo de estarem juntos, a vontade de ouvir a voz um do outro era grande.
            Os dias iam passando, eles se falavam sempre, todos os dias, várias vezes ao dia (internet, telefone, mensagem de texto...) e cada vez mais a vontade de estar juntos aumentava, e conforme o tempo passava descobriam mais coisas em comum e a paixão ia crescendo mais e mais.
            Não demorou muito Cristiano voltou à cidade de Roberta, aproveitou um feriado prolongado e passaram maravilhosos dias juntos, apenas os dois. Naqueles dias de amor e paixão a menina meiga e doce se fez mulher, os anos foram passando, anos de muito amor, paixão, companheirismo e cumplicidade, porém algo não estava mais tão perfeito e a vida os levou por caminhos diferentes, sem nunca apagar de seus corpos, corações e mentes aqueles anos de amor que ficaram para sempre marcados.
            E dez anos depois do rompimento, ao verem suas roupas no chão, o vinho e as taças pela metade na mesa e seus corpos na cama após uma tórrida noite de amor comprovam que a chama da paixão entre nunca se apagou, eles relembram o passado tão presente em suas vidas como se nunca tivessem se separado um dia, como se não houvesse nada entre eles...


Cecília Campello

Imagem aqui









































































































Câncer de Mama

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Como está dá pra continuar???

O desabafo de uma cidadã cansada de tanto descaso...

Estava há alguns dias sem poder sair de casa (por causa de um pequeno procedimento médico-cirúrgico), até que resolvi aproveitar a véspera do feriado para jantar com uma amiga e depois uma esticada com amigos.
Levei 50 min para chegar do Parnamirim (bairro que moro) às Graças (bairro que fica o restaurante que jantar com minha amiga. Tudo bem que o transito na Av Rui Barbosa normalmente é ruim, porém era um horário que já não tinha muito trânsito e quando comentei o fato com o taxista, ele me disse que tinha levado UMA HORA para chegar do Clube Português ao ETC (um empresarial) porque caído uma árvore na Av Rosa e Silva (paralela a que eu estava); fiquei preocupada, aquele horário (18:10 aproximadamente)  era um horário de trânsito muito intenso e na mesma hora falei que esperava que ninguém tivesse se ferido e mais surpresa fiquei quando ele me disse que a árvore não tinha caído àquela hora e sim por volta das 14:00hs.
- Mas, como assim? Estão cortando a árvore no meio da rua? Não liberaram nenhuma das faixas, a avenida está interditada? (indaguei perplexa)
- Não estão cortando galho por galho com a árvore na avenida mesmo, ninguém pensou em cortar a árvore ao meio, puxar para a calçada e liberar o trânsito. Desviaram para as transversais...
Quem conhece o bairro sabe que as ruas transversais às Avenidas Rosa e Silva e Rui Barbosa são muito estreitas e não suportam o fluxo dessas duas avenidas, principalmente se levarmos em conta o horário e o fato de ser véspera de feriado, sabe que do Clube Português ao ETC não se leva 10min. E sabe principalmente da incompetência dos órgãos de trânsito da cidade do Recife.
Os absurdos não pararam por aí! Estávamos no congestionamento em frente ao Colégio São Luiz quando olhei para o lado e vi três motos da polícia, o policial que estava no meio o tempo todo acelerando e apressando o que estava na frente e quando olhei os três subiram a calçada e saíram colocando a integridade das pessoas que deveriam proteger em risco. Nunca quis tanto estar com um celular com câmera como naquela hora (o meu está na assistência técnica). E bastou um comentário meu para que o taxista fizesse uma lista de todas as atrocidades que ele vê no dia a dia...

Quando comecei a escrever este post não era pra falar sobre isso e sim sobre um assunto que é uma questão de saúde pública, uma prova de serviço público ineficiente e principalmente, nojento: o vazamento do esgoto aqui na frente da minha casa que já começa a dar retorno para dentro da minha casa.
Calçada em frente da minha casa
 Infelizmente esgoto estourado em frente de casa não é um ‘privilégio’ nosso. Basta uma andada rápida pelas ruas da cidade para ver se este problema se repete em várias ruas, vários bairros. Há menos de duas semanas tinha dois vazamentos na Estrada do Arraial que passou cerca de 6 dias para ser resolvido. A Sebastião Alves volta e meia está com vazamentos, a COMPESA (companhia pernambucana de saneamento) vem, conserta, passam um mês, um mês e meio o esgoto estoura novamente. Hoje pela manhã quando fui tirar fotos na rua escutei de um visinho e do porteiro da escola que fica ao lado da minha casa: “essa rua resolveu imitar a rua aí do lado?”. Não tive outra opção a não ser responder: É, parece que sim, só espero que não seja com a mesma freqüência...
Ontem pela manhã liguei para a COMPESA (protocolo: 20111004828960), expliquei todo o caso, inclusive que o esgoto estava dando retorno para minha casa, o rapaz que me atendeu disse que solicitou urgência e que o caso seria atendido de acordo com a demanda e me deu um prazo até o dia 12/09.
- Você entendeu o que te falei? Que o esgoto está dando retorno para dentro da minha casa, que um dos banheiros está impossibilitado de usar? (perguntei)
- Sim entendi, solicitei urgência. Mas o prazo para ser solucionado é até o dia 12/09 de acordo com a demanda, pode até ser antes, mas o prazo é até dia 12 mesmo. (foi a resposta que recebi)
Furiosa, agradeci e desliguei o telefone.
Eu sei que eles recebem muitos chamados, sei que a cidade está cheia de esgotos estourados (serviço de péssima qualidade), não quero de deixem de resolver as outras solicitações, mas a questão é que o esgoto está dando retorno para dento de casa.
Não satisfeita com a minha ligação de ontem resolvi fotografar a rua e escrever um post, mas fiquei assustada com que vi. Não é apenas o esgoto aqui na frente da minha casa que está com vazamento, o do prédio que fica do outro lado da rua e o bueiro no meio da rua também estão vazando. O pior de tudo é que não á apenas um vazamento simples, a água saí com força, a água que escorre pelo canto mais parece dia de chuva forte. Fiquei realmente surpresa.
Calçada do prédio do outro lado da rua.
 Quando estava vi que o esgoto estava escorrendo para dentro do hidrômetro então achei melhor fazer outra ligação (protocolo: 20111004833080) para COMPESA e mais uma informar o que estava acontecendo. O prazo que me deram foi o mesmo, porém a atendente disse que solicitou prioridade o que faz com que este prazo possa ser reduzido para 24h.
Será que é tão difícil de perceber que isso é uma questão de saúde pública? Se eu e meus familiares ficarmos doentes como vai ser?
Eu ainda tenho que agüentar as gracinhas de meus amigos: “E isso é porque tu mora em bairro nobre!!!”
Será que nobre mesmo? (Fico pensando)
Bueiro no meio da rua

Água do esgoto que está vazando na minha casa, este é um corredor lateral que dá acesso ao quintal sem passar por dentro da casa.







Recife cresceu bastante nos últimos anos, novos e luxuosos prédios são construídos a cada dia, a frota de carros aumenta e muito todos os dias, mas a (infra)estrutura da cidade não é melhorada. Já passou da hora de pararem e analisarem a situação da cidade, das construções, em um terreno, onde ficava uma casa com uma família constroem um prédio com 20 - 22 andares com cerca de um ou dois apartamentos por andar, mas o encanamento continua o mesmo. quem conhece Recife sabe que a cidade é uma ilha cortada por rios que servem como depósito de lixo, a população é mal educada, o poder público além de ser ineficiente na limpeza pública, deixando muito a desejar,  não fiscaliza tampouco pune e a cidade fica suja e os cidadãos a mercê dos políticos.
Ontem foi o dia que se comemora a Independência do Brasil, cerca de 60mil pessoas foram ver a palhaçada, ops, desculpem, o desfile e pouco mais de 2mil participaram da Marcha contra corrupção, mas todos reclamam dos políticos. O excelentíssimo governador desfilou em carro aberto cercado por dezenas de policiais, outras dezenas (centenas) de militares estavam no desfilando e a segurança dos cidadãos quem faz?
Sabe, estou cansada disso tudo! Pra quê desfile de 7 de setembro? Não é muito melhor pegar o dinheiro empregado em toda parafernália (palanque, arquibancada...) e investir na infraestrutura da cidade, no melhoramento do policiamento???... não se temos muito a comemorar...






Vergonha, tristeza e revolta são os sentimentos que tomam ao escrever este post....